Afogadense Yane Marques dosa preparação para os Jogos Olímpicos


YANE

Com os Jogos Olímpicos batendo à porta – a abertura do evento está marcada para o dia 5 de agosto -, os treinamentos para participar do maior evento esportivo do planeta estão cada vez mais intensos. Primeira brasileira a se garantir na competição, a pernambucana Yane Marques segue com uma preparação forte para chegar “voando” na Cidade Maravilhosa.

Aos 32 anos, a pentatleta de Afogados da Ingazeira tem o objetivo de alcançar a melhor base de preparação da carreira. “A meta é chegar no dia convicta de que eu estou no auge da minha forma física e fazer na prova o que eu estiver fazendo no treino. Espero que seja bom e que isso nos dê bons resultados”, almejou Yane, que conquistou a vaga após o bronze no Mundial de Berlim, na Alemanha, no ano passado. Além disso, a pernambucana ainda foi ouro nos Jogos Pan-Americanos de Toronto.

A classificação antecipada deu uma maior tranquilidade para a pernambucana dar continuidade aos seus projetos. “Na condição de classificada, a gente seleciona as provas para participar, outras para não participar, umas para testar, outras para confirmar. Este é o conforto de ter conseguido a vaga precocemente.” Tranquilidade não significa acomodação, por isso a pentatleta garante trabalho pesado nos próximos meses. “Não vale a pena ficar me preparando só para as Olimpíadas durante quase oito meses sem competir. Todas as provas vão servir como um termômetro para irmos avaliando e entendendo se tudo está indo no caminho certo”, assegurou, em entrevista ao site oficial do Ministério dos Esportes.

TESTE

Entre os dias 10 e 14 de março, Yane estará competindo no evento-teste da modalidade. A disputa utilizará as instalações olímpicas do Estádio de Deodoro, no Rio de Janeiro, para as competições de hipismo e combinado de tiro e corrida, a natação será realizada no Centro Aquático de Deodoro e a esgrima na Arena da Juventude. “Será no mesmo lugar onde ocorreram o Pan-Americano de 2007 e os Jogos Mundiais Militares, em 2011, então as instalações são familiares pra mim. Algumas mudanças vão acontecer, mas tenho certeza de que vai ficar bonito, organizado e em condições de nos receber muito bem”, arrematou a pentatleta.

HISTÓRIA – A pernambucana é a única mulher do Hemisfério Sul dona de uma medalha olímpica na história do pentatlo moderno. Antes do bronze conquistado em Londres-2012, apenas competidoras da Europa, Estados Unidos, China e Cazaquistão tinham subido no pódio na categoria feminina em uma Olimpíada. (Blog do Finfa)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial