O papel da mulher e do Brasil no desenvolvimento sustentável


No momento em que a ONU se organiza em torno dos novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, o Brasil volta a ter um papel de destaque ao assumir a presidência da 60ª sessão da Comissão sobre a Situação da Mulher (CSW60), que começa hoje, 14, e vai até 24 de março, na sede das Nações Unidas em Nova York/EUA.

Este ano, chefes de Estado, delegações governamentais, agências especializadas da ONU e organizações da sociedade civil de todo o mundo debaterão o empoderamento das mulheres e a ligação delas com o desenvolvimento sustentável. A Legião da Boa Vontade (LBV), instituição brasileira, também contribuirá para o evento com suas recomendações de boas práticas presentes na revista BOA VONTADE Mulher (disponível em espanhol, francês, inglês e português). A edição traz ainda histórias de mulheres fortes que tiveram o apoio da LBV e lutaram para superar e vencer grandes desafios.

“A Agenda 2030 fundamenta-se no entendimento de que não será possível alcançar o desenvolvimento sustentável se metade da Humanidade não puder usufruir de seus direitos humanos em toda a plenitude”, declarou, em entrevista exclusiva à publicação, o embaixador brasileiro Antonio Patriota, que presidirá esta sessão.

A revista apresenta também uma mensagem de esperança aos governantes com o artigo “Caridade e estratégia”, do diretor-presidente da LBV, o jornalista e escritor José de Paiva Netto, no qual afirma: “A Caridade, aliada à Justiça, é o combustível das transformações profundas. Sua ação é sutil, mas eficaz”.

A Legião da Boa Vontade é associada ao Departamento de Informação Pública das Nações Unidas desde 1994. Em 1999, conquistou status consultivo geral no Conselho Econômico e Social da ONU. Com isso, elabora propostas para algumas das principais reuniões desse organismo internacional, traduzidas por ele para seus seis idiomas oficiais (árabe, chinês, espanhol, francês, inglês e russo).

Comentários

Anterior Proxima Página inicial