Projeto de leitura “Lendo e escrevendo a nossa história” foi lançado em Afogados da Ingazeira



José Batista tem 72 anos e nunca frequentou a escola. Ele é conhecido dos Afogadenses por estar sempre nos eventos e lugares movimentados com o seu indefectível carrinho de pipocas. Só agora, depois de tantas primaveras, seu José se decidiu por voltar à sala de aula. Ele é um dos 250 alunos que participam do ensino de jovens e adultos (EJA) promovido pela Secretaria Municipal de Educação de Afogados da Ingazeira. "Eu estou muito feliz, muito contente com os colegas que fiz e acho que nunca é tarde para aprender alguma coisa," afirmou José Batista.

Ontem (15), seu José e mais centenas de alunos do EJA participaram do lançamento do projeto de leitura “Lendo e escrevendo a nossa história”, no auditório do Centro Tecnológico. Além das apresentações dos poetas e declamadores Wellington Rocha e Alexandre Moraes, todos puderam assistir a um vídeo produzido, roteirizado, encenado e dirigido por eles mesmos, tomando com base e inspiração a música “a triste partida”, imortalizada na voz de Luiz Gonzaga. Houve também apresentação de flauta do músico Edek Batista.

A Secretaria Municipal de Educação distribuiu folhetos de cordel e um kit contendo material didático e de papelaria para todos os alunos. O Prefeito José Patriota esteve presente e falou sobre a importância de voltar à sala de aula, mesmo enfrentando todas as dificuldades. “O conhecimento, o que a gente aprende na escola, é a única coisa que ninguém jamais poderá tomar de nós. Vocês são um exemplo, uns guerreiros, que batalham pela sobrevivência o dia inteiro e à noite ainda encontram motivação para estudar,” disse Patriota.

Em 2014, um vídeo produzido por alunos do EJA, da Escola Francisca Lira, venceu o prêmio nacional “Curta Histórias”, patrocinado pelo MEC. O vídeo homenageava o líder sul-africano, Nelson Mandela. 

Comentários

Anterior Proxima Página inicial