Após R$ 3,5 milhões em investimentos, buracos e desgaste avançam na rota do Samu de Serra Talhada


samu

Portal Farol de Notícias

Mesmo sem funcionar, o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) construído às margens da BR-232, em Serra Talhada, já dá sinais de desgaste. O principal exemplo é o asfalto de acesso ao equipamento que encontra-se esburacado e deteriorado.

O FAROL fez uma visita surpresa ao local, nessa segunda-feira (11) e constatou que a situação não está pior porque um zelador aparece pelo menos duas vezes por semana para tirar a poeira do móveis. Na garagem, duas ambulâncias ficam estacionadas, e só não houveram furtos porque há vigilância constante no local.

Foram investidos cerca de R$ 3,5 milhões na construção do Samu, que era para estar servindo como central de atendimento para 30 municípios das regiões do Pajeú e Moxotó. Sem serventia, a população espera que se resolva o impasse entre a Prefeitura de Serra Talhada, o Governo de Pernambuco e o Governo Federal, que realizam um jogo de ‘empurra-empurra’.

Com gastos mensais em torno de R$ 350 mil, o prefeito Luciano Duque diz que só inaugura a obra quando os entes federativos chegarem com seus aportes financeiros. Há cerca de 15 dias, durante entrevista ao FAROL, o governador Paulo Câmara diz que só envia recursos caso a prefeitura coloque em funcionamento.

É a mesma postura do governo federal.  E neste compasso, o Samu vai completar três anos sem funcionamento. As imagens são de Alejandro Garcia.

samu 3

Comentários

Anterior Proxima Página inicial