Serra Talhada: Professores cobram mais de R$ 1 milhão de repasses oriundos do governo federal


DSC_0177

O governo municipal deve o repasse de mais de R$ 1 milhão oriundos do governo federal aos professores. A informação é da diretoria do Sindicato dos Professores de Pernambuco (Sinpro-PE), que em contato com o FAROL DE NOTÍCIAS, alegou que o dinheiro está ‘travado’ na Prefeitura de Serra Talhada. Segundo George Saguineto, diretor jurídico do Sinpro-PE, o Sintest (Sindicato de Servidores da Educação de Serra Talhada) também sabe da possibilidade de receber uma indenização do chamado ‘fundão’, vindo de ações indenizatórias para a educação. A passagem dos diretores do sindicato também teve a missão de reacender a célula do Sinpro na Capital do Xaxado.

“Nesse momento no município existem algumas pendências, uma delas é a questão que o professor sempre fala do ‘fundão’, que é uma diferença da passagem do Fundef para o Fundeb. Os municípios tiveram prejuízo porque deveriam receber determinada quantia e a Amupe entrou com uma ação indenizatória, isso lá nos anos 2000. Os precatórios começaram a sair ano passado e 60% tem que ser repassada para a categoria, isso na casa dos milhões. A outra coisa é com relação ao repasse da União referente a 2015, no valor de R$ 1 milhão e todos os municípios receberam no mês de maio”, explicou o diretor jurídico.

Ainda de acordo com George Saguineto, os líderes sindicais se reuniram com o secretário de Administração, Renato Godoy, para falar sobre os repasses da ação. Ao FAROL, o diretor jurídico informou que o governo municipal alegou que o processo está sendo acompanhado pelo departamento jurídico da prefeitura.

“Existe um problema porque o outro sindicato (Sintest) diz que não tem verba, entraram com um escritório próprio. Sobre o repasse de 2015, eles entendem que tem que ir para o fundo da educação e nós não, 60% deve ir para o professor. O secretário (Renato Godot) pediu que enviássemos um ofício fundamentando o pedido e vão encaminhar ao procurador e o prefeito”, disse Saguineto. (Farol de Notícias)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial