Moradores reclamam da distribuição de água após o rodízio em Salgueiro


Com a escassez de água e de chuva em parte de Pernambuco, tem município que está a base de rodízio no abastecimento de água. Em Salgueiro, no Sertão do estado, a Companhia Pernambuna de Abastecimento (Compesa) havia anunciado que os moradores ficariam dois dias com água, e cinco sem abastacimento. Entretanto, esse acordo não está sendo cumprido.

Os moradores de salgueiro estão reclamando da forma como tem sido distribuída a água na cidade. A Compesa fez um rodízio entre os bairros, mas não vem agradando a população. A dona de casa Vera Lúcia Cristóvão, tem sofrido com a falta de água. “A gente pracisa muito de água, e mesmo economizando falta água nos reservatórios. Tem o meu pai que é idoso, precisa também tomar muito banho nesse calor, tem os meus três filhos, tem o meu irmão, tem eu, a gente precisa lavar roupa, fazer comida”, relata.

A água na cidade vem sendo distribuída através de um rodízio entre os bairros, feito pela compesa, mas o problema é que o acordo não está sendo respeitado. “Eles dizem que é dois dias com água, só que nunca são dois dias com água, às vezes é um dia e meio, as vezes é só um dia, se chegar à noite, no outro dia já não tem, aí passa o dia todo sem água, não tem. O acordo é para passar quatro dias sem água, e não passa, passa mais, às vezes passa cinco, oito, dependendo deles. Aí a gente tem que tá ligando para Compesa para pedir uma explicação,eles nunca dão nenhuma explicação, já fui lá duas vezes, procurei o gerente, ele nunca está”, explica Vera.       

Em outro bairro, no Alto das abelhas, a situação da falta de água é ainda mais complicada. De acordo com moradores, por semana, são só algumas horas com água nas torneiras. “A situação da água está difícil. Chegou essa noite uma hora da manhã, duas horas faltou água”, relata Francisco Vidal”, diz o aposentado, Francisco vidal”.

“Eu dormir com uma mangueira dentro de uma caixa de 500 litros, aí só encheu a caixa. amanheceu o dia não tinha mais água. fui pegar água pra colocar nos potes, nas garrafas não encontrei mais água. é de oito em oito dias água, aqui, de domingo a domingo”, ressalta a aposentada, Edite Maria da Silva.

O gerente da compesa em Salgueiro, Januário Nunes, explicou que o rodízio seria de dois dias com água e cinco sem, só que a companhia tem tido dificuldades para cumprir o cronograma. “Isso em função dos sistema adutor de Salgueiro, que é um sistema integrado, e nesse período seco do ano, elas retiram água de forma clandestina, e também tem o consumo autorizado, e isso faz com que a água diminua na estação de tratamento de água. Então se a água diminui, a gente muitas vezes não completa o ciclo. Agora ficou mais grave, por conta do tempo mais seco, o consumo de água é maior por parte da população, e é maior também por parte do consumidor da zona rural”, esclarece.           

Ainda segundo januário nunes, existe um projeto para solucionar o problema da distribuição de água na cidade existe, mas não tem prazo para que comece a funcionar. (G1)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial