PARABÉNS PARA ISABELLY FERREIRA

PARABÉNS PARA ISABELLY FERREIRA

Motoqueiro morre no Recife ao ser atingido por linha de pipa com cerol


estrada

Um motorista de ônibus de 32 anos, que trafegava em uma moto, morreu ao ser atingido por uma linha de pipa com cerol. O caso aconteceu no fim da tarde de quarta-feira (19), na Rodovia BR-101 Norte, na Guabiraba, na Zona Norte do Recife. A vítima ainda foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Descoberta, na mesma região, mas não resistiu aos ferimentos no pescoço.

De acordo com o registro feito no posto policial da Polícia Militar na UPA de Nova Descoberta, o motoqueiro trafegava pela pista local da BR 101, por volta das 17h30. A linha com o material cortante atingiu o pescoço e ele caiu da moto.

“A esposa dele esteve aqui na UPA e ficou muito abalada. Foi um acidente terrível”, comentou o sargento Marcelo Castro, do posto da PM da unidade.

O corpo do motoqueiro que morreu por causa do cerol está no Instituto de Medicina Legal (IML), em Santo Amaro, na área central do Recife. A vítima é um motorista de uma empresa de transporte coletivo que atua no Grande Recife.

Ele trabalhava em uma transportadora havia dois anos e fazia uma linha entre o Centro da cidade e a Zona Norte. A família reside em Caetés I, em Abreu e Lima, no Grande Recife. “Ele estava de férias. Deixou a mulher e três filhos”, informou um dos colegas de trabalho, que não quis ser identificado.

Em fevereiro deste ano, um mecânico morreu ao ser atingido por uma linha com cerol. Ele foi levado para o Hospital da Restauração (HR), no Derby, área central do Recife. O acidente aconteceu na Avenida Abdias de Carvalho, no bairro dos Torrões, também na capital pernambucana.

O perigo

Feito com raspas de vidro, pó metálico e cola, o cerol é usado nas pipas para cortar  a linha do  concorrente. O material é muito perigoso. Além de provocar ferimentos graves e a morte ao atingir as pessoas, põe em risco a vida de quem usa. Em contato com a rede elétrica, é condutor de energia e pode provocar choques graves.

Do G1 Pernambuco

Comentários

Anterior Proxima Página inicial