Derrotas de aliados do Palácio podem comprometer os planos de reeleição do Governador Paulo Câmara



O PSB do governador Paulo Câmara encolheu e muito nas eleições de 2016 em relação a 2012, embora conseguindo vitória em uma cidade importante como Petrolina, há quem diga que o retorno dos socialistas ao comando da principal economia do sertão, não se deve em nada ao governo estadual que tem a frente o ungido de Eduardo Campos. O que mais se comenta entre os conhecedores da política petrolinense, é que a vitória de Miguel Coelho (PSB), se deu por três importantes pontos a serem observados; a falta de articulação do prefeito Julio Lóssio para escolher seu candidato, a liderança pessoal do senador Fernando Bezerra Coelho que priorizou a eleição de Petrolina e abandonou os outros municípios e por fim, os petrolinenses resolveram dar um credito de confiança a união da família Coelho.

Já em Recife a vitoria de Geraldo Julio se concretizou no segundo turno por dois fatores, a administração do próprio socialista e a falta de um concorrente de peso. Dando uma olhada rápida por todo estado de Pernambuco, os eleitores deram respostas diretas ao governador Paulo Câmara. Em Araripina principal cidade da região do Araripe foi eleito o ex deputado Raimundo Pimentel que é adversário do palácio, em Salgueiro a mais importante economia do sertão central o vencedor que foi Clebel Cordeiro do PMDB, interrompeu 16 anos seguidos de administrações do PSB de Paulo Câmara. Já nesse segundo turno duas derrotas pra colocar a reeleição de Paulo Câmara sob alerta, uma delas em Caruaru e a outra em Olinda. Em Caruaru venceu a deputada Raquel Lyra (PSDB), em Olinda venceu o também deputado Professor Lupercio (SD). Em Caruaru quem perdeu foi o palaciano Tony Gel e em Olinda, o derrotado além de contar com apoio de Câmara é simplesmente irmão do ex governador Eduardo Campos.

Fonte: Blog de Didi Galvão

Comentários

Anterior Proxima Página inicial