MPF provoca debate e começa plano de retirada de algarobas do Pajeú em Serra Talhada



Na tarde dessa quarta-feira (16) a Procuradoria da República, do Ministério Público Federal (MPF), em Serra Talhada se reuniu com a secretaria de Meio Ambiente, Agricultura, ambientalistas, professores da UFRPE/Uast e proprietários de terrenos próximos ao leito do rio Pajeú para discutir um plano de ação emergencial para evitar o agravamento da poluição no Pajeú, que tem possibilidade de cheias em 2017. O alerta foi dado pelo ambientalista Bonzinho Magalhães e pelo ex-secretário de Obras, João Novaes, em matéria produzida pelo FAROL (Leia).

Entretanto, no mês de julho, o Ministério de Minas e Energias enviou relatório a Procuradoria da República revelando que as cidades de Serra Talhada e Floresta se encontram em áreas de risco de enchentes.

Diante o exposto, a proposta apresentada pelo secretário de Meio Ambiente, Ronaldo Melo Filho, prevê que a partir dessa quinta-feira (17) comece o mapeamento de proprietários de imóveis na localidade e a retirada de algarobas do leito do rio. Durante a reunião, Ronaldo Filho justificou a elaboração do plano por conta da previsão feita por institutos meteorológicos de chuvas acima da média.

Fonte: Farol de Notícias

Comentários

Anterior Proxima Página inicial