Polícia prende 52 pessoas no Recife após protestos contra a PEC 55



Diário de Pernambuco

O protesto contra a PEC 55 (PEC dos gastos públicos), acontecido na Avenida Conde da Boa Vista, no início desta terça-feira, resultou na prisão de 52 pessoas, segundo informa a Polícia Militar de Pernambuco. 30 foram encaminhadas à Central de Flagrantes. O restante seria de adolescentes, que foram liberados ainda no Centro da cidade.

Caio Moura, advogado da Comissão Popular de Direitos Humanos, afirma que quando chegou ao Centro, perto da Faculdade Joaquim Nabuco, encontrou o pessoal preso sentado no chão. "Essas pessoas na dispersão da manifestação estavam indo a uma rua e a PM as prendeu. Não teria como a polícia identificar cada um e prendeu todo mundo". Tal prisão ilegal, segundo o advogado. 

A PM alega que os manifestantes estariam provocando arrastão e causando danos ao patrimonio. Caio Moura disse que arrastão não é tipificado como crime e a PM não poderia prender os manifestantes por isso. Sobre os supostos danos ao patrimônio, o advogado diz que teria que ter testemunhas e identificar um a um (os manifestantes). Caso contrário, todos devem assinar Termo Circunstanciado de Ocorrência e a polícia deve liberar a todos.

Manifestações
A Proposta de Emenda à Constituição foi aprovada em segundo turno nesta terça-feira, gerando manifestações por todo o Brasil. 

A mobilização, que começou pacífica, saiu do controle ao chegar num dos principais corredores de tráfego da cidade. Encapuzados, alguns manifestantes atearam fogo em lixo, quebraram paradas de ônibus, depredaram agências bancárias do Itaú, Bradesco e do Santander e até a loja C&A. Assustados, os comerciantes fecharam as portas mais cedo.

O protesto foi articulado no Recife por quatro centrais sindicais: a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central Sindical e Popular (CSP Conlutas), a Intersindical e a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB). O movimento ainda é endossado pelo movimento estudantil, pela Frente Popular Povo Sem Medo, Frente Popular Brasil Popular e pelo Levante Popular da Juventude. Apesar da convocação ter sido de base sindical, a maior parte dos presentes na manifestação era de estudantes.

Além de contra a aprovação da PEC 55, o ato também foi um protesto contra a Reforma no Ensino Médio e que pedia a renúncia do presidente Michel Temer ("Fora Temer"). "O motivo principal é a PEC 55. Mesmo já tendo sido aprovada, ela continua no foco porque vai desencadear outras coisas negativas para o povo. O pacote inteiro ataca os direitos dos trabalhadores e por isso nossa luta continua. Nenhum movimento social isolado vai conseguir bater de frente com o governo, mas juntos somos mais forte. Fora Temer é pauta, Congresso corrupto também, o projeto da Reforma Política e, claro, a Reforma no Ensino Médio. A luta é de todos", esclareceu o coordenador do CSP Conlutas-PE, Hélio Cabral. 

Comentários

Anterior Proxima Página inicial