Coreia no Norte dispara míssil sobre Mar do Japão



A Coreia do Norte disparou nesta quarta-feira (5) um míssil balístico sobre o Mar do Japão, informaram o ministério sul-coreano da Defesa e militares americanos.

"Às 06H42 (18H42 Brasília de terça-feira), a Coreia do Norte disparou um míssil balístico da área de Sinpo (porto do leste do país) em direção ao Mar do Japão", revelou o ministério sul-coreano em um comunicado.

O míssil voou cerca de 60 km, precisou o ministério, acrescentando que Estados Unidos e Coreia do Sul estão analisando a trajetória para determinar o tipo do projétil.

O Comando Norte-Americano de Defesa Aeroespacial (NORAD), encarregado da segurança aérea de Estados Unidos e Canadá, confirmou o disparo e informou se tratar de um míssil de médio alcance do tipo KN-15, que "não representaba uma ameaça para a América do Norte".

O Comando do Pacífico dos EUA destacou que "está plenamente comprometido a trabalhar estreitamente com nossos aliados japoneses e da República da Coreia (do Sul) para manter a segurança".

Segundo o Comando do Pacífico, um míssil balístico de médio alcance foi lançado às 06h42 de quarta-feira e caiu no Mar do Japão nove minutos depois.

Resposta do Japão

O Japão condenou o disparo, que viola as resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, afirmou que o disparo constitui uma "provocação grave", que "claramente viola as resoluções do Conselho de Segurança".

"É possível que (a Coreia do Norte) faça novas provocações".

A inquietação na Península é cada vez maior pelo suposto avanço dos programas nuclear e balístico da Coreia do Norte, que tenta desenvolver um míssil de longo alcance capaz de atingir o território americano com uma ogiva nuclear, e por enquanto realizou cinco testes nucleares, dois deles no ano passado.

Em fevereiro, Pyongyang disparou quatro mísseis, três dos quais caíram perto do Japão, em um teste que tinha como objetivo simular um ataque a bases americanas no arquipélago.

Seis pacotes sucessivos de sanções impostos pela ONU desde um primeiro teste nuclear norte-coreano em 2006 não conseguiram dissuadir Pyongyang de seguir adiante com seus programas.

A Coreia do Norte já fez cinco testes nucleares subterrâneos, dois deles em 2016, e tenta desenvolver mísseis intercontinentais capazes de carregar ogiva atômica.

No fim de março, imagens de satélite mostraram, segundo analistas do 38 North, um site na internet de referência sobre o regime de Pyongyang, preparativos para um novo teste nuclear na Coreia do Norte. (AFP)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial