Audiência Pública realizada em Floresta aponta soluções para violência na região



Diante do aumento do número de casos de violência na cidade e região, a Câmara Municipal de Vereadores realizou nesta quarta-feira (24), às 19h, uma Audiência Pública para debater junto às polícias, autoridades políticas e sociedade civil, a segurança no município e região.

A mesa foi composta pelo presidente do Legislativo em Floresta, Beto Souza, Delegado Sexagenário Ariosto Esteves, os Juízes Dr. José Anastácio Correia e Augusto Sampaio Angelim, prefeito de Floresta Ricardo Ferraz, os comandantes da Polícia Militar Tenente Coronel José Roberto de Almeida, Tenente Coronel Webyston Lima, a representante do prefeito de Itacuruba, a Secretária Municipal Izabella Maniçoba, e os vereadores Talles Cruz, Francisco Ferraz, Gilberto Quirino, Tiago Maniçoba, Pedro Henrique Lira, Kiel, Luizinho e Beijinha Puça.

Entre as soluções propostas estão a instalação das câmeras de segurança na cidade, construção do Batalhão da Polícia Militar, implantação de uma cultura de paz nas escolas e comunidades, viabilização de um convênio com o Governo do Estado para a construção de uma cadeia pública, fortalecimento do programa do Governo Estadual “Pacto pela Vida”, além do lançamento do novo programa de segurança do Governo “Força no Foco”.

O presidente Beto Souza informou que vem realizando indicações e reiterações sobre a segurança no município e afirmou que esse debate é de extrema importância, pois a sociedade vive um momento de insegurança com o aumento da criminalidade em toda a região.

Já o Juiz Dr. José Anastácio Correia enfatizou que quando o cidadão também toma para si a responsabilidade para resolver suas dificuldades por meio de uma cultura de paz, de maneira geral, o resultado é muito satisfatório. “Par mim tem sido uma hora servir os cidadãos desta comunidade. O Fórum está de portas abertas e estamos prontos para atender e proporcionar de alguma maneira a escuta dos anseios da população. O poder judiciário acredita que nós conseguiremos obter um bom resultado, a partir da nossa mudança individual, do cumprimento das normas e de um comportamento ético que dever ser ensinado dentro da nossa casa”.

Ainda fez uso da palavra do delegado Ariosto Esteves. Explicou que na segurança pública não existe uma fórmula pronta, e que cada município e região tem uma peculiaridade. Destacou a importância do Programa Pacto Pela Vida, através do qual consegue-se determinar prioridades, e ainda que a segurança pública não é uma ação única, mas a soma de ações na assistência social, na educação, entre outros. Também destacou a problemática das drogas, como causadora de casos de violência dentro da própria famílias, provocando a dissolução, bem como uma motivadora da violência na própria sociedade. Um problema que precisa ir além de uma reposta criminal, mas que seja também na área da saúde e da assistência social.

“Hoje (24), iniciamos uma operação policial na região para reprimir crimes violentos patrimoniais e letais. A ação visa garantir um sentimento mais de segurança a população de Floresta. Houve quatro prisões e mais de 20 buscas e apreensões. Tivemos um aumento de homicídio nesse segundo semestre muito grande, ano passado foram cinco e esse ano, no mesmo período, já temos oito. Vale informar que desses oito, seis já foram encaminhados para justiça. Ao mesmo tempo que houve o aumento de crimes, também houve o aumento de solução de casos”, informou o delegado. Por fim, ele ressaltou a importância de discutir o assunto, como busca de encontrar juntos soluções.

Em sua fala, o comandante da Polícia Militar, Tenente Coronel José Roberto, reconheceu o esforço da equipe para combater os crimes na região, e lembrou da extensão territorial rural do município de Floresta, que também precisa ser policiado, o que aumenta o desafio para realizar um bom trabalho. “ Nossa prioridade é combater de forma intensa a criminalidade, como roubos e assaltos em estradas. Estamos trabalhando para frear os avanços desses delitos. No município, diariamente, lançamos cinco equipes de serviço para atender a localidade”.

O Juiz Augusto Sampaio Angelim, de Nazaré da Mata, que se encontra em Floresta por ocasião de regime especial de trabalho, disse louvar a inciativa do vereador Beto Souza e demais vereadores em prover essas audiência públicas. “Reforço a palavra dos que me antecederam, veremos poucos resultados se não tivermos o envolvimento da sociedade com uma cultura de paz. Sugiro ao Executivo que lance essa cultura nas escolas”.

ASCOM – Comunicação/Fotos: Sertão Eventos

Comentários

Anterior Proxima Página inicial