Boletim da Apac aponta inundação em oito municípios do estado; outros três estão em situação de alerta



O boletim do sistema de alerta de cheia dos rios, da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) deste domingo (28) aponta inundação em oito cidades do estado. O aviso também traz um alerta para três outros municípios.

As cidades com inundações são: Caruaru, Gravatá, Amaraji, Ribeirão, Belém de Maria, Catende, Jacuípe e Palmares. Já São Benedito do Sul, Joaquim Nabuco e Canhotinho estão em alerta. Os rios monitorados são: Ipojuca, Gravatá, Canhotinho, Amaraji, Sirinhaém, Una, Panelas, Pirangi e Jacuípe.

Também neste domingo, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), decretou estado de calamidade em 13 municípios por conta das fortes chuvas que castigam o Agreste e Zona da Mata Sul do estado.

Com 287 milímetros água acumulada nas últimas 24 horas, o município de Ribeirão, na Mata Sul, foi onde mais choveu. Em apenas um dia choveu mais do que o esperado para todo o mês de maio no município.

Na sequência de cidades que mais foram atingidas pelas chuvas estão: Rio Formoso, com 283 milímetros; Gameleira, com 244 milímetros; Sirinhaém, com 227 milímetros; e Caruaru, com 220 milímetros. Até o momento, Pernambuco registra 5 mil desabrigados.

De acordo com a previsão do tempo da Apac, a Mata Sul segue com chuva rápida em toda região com intensidade moderada a forte. O Agreste registra pancadas de chuva de forma isolada com intensidade fraca a moderada.

A Região Metropolitana do Recife permanece nublada com chuva rápida de forma isolada, com intensidade fraca a moderada. A Mata Norte tem chuva rápida de forma isolada, com intensidade fraca a moderada.

O Sertão, por sua vez, segue parcialmente nublado com pancadas de chuva de forma isolada com intensidade fraca. Já Fernando de Noronha registra pancadas de chuva em toda a região ao longo do dia, com intensidade fraca a moderada. A previsão é válida até a segunda-feira (29)

O estado conta com cinco barragens em processo de construção. Para o secretário de Planejamento e Gestão, Márcio Stefanni, a paralisação se dá pela falta de recursos do governo federal. Segundo ele, o assunto será tratado durante uma reunião entre o governador do estado e o presidente da república, Michel Temer, ainda neste domingo, no Palácio do Campo das Princesas.

Via G1

Comentários

Anterior Proxima Página inicial