Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso pede antecipação das eleições gerais



O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou na última quinta-feira (16), por meio de nota, que diante do quadro político atual seria “um gesto de grandeza” do Presidente Michel Temer (PMDB) pedir a antecipação das eleições gerais. No texto, FHC avalia que a situação política nacional tem sofrido “abalos fortes”. Segundo ele, falta “legitimidade” ao Executivo para governar e o país passa por um momento de “anomia”.

“A conjuntura política do Brasil tem sofrido abalos fortes e minha percepção também. Se eu me pusesse na posição de presidente e olhasse em volta, reconheceria que estamos vivendo uma quase anomia. Falta o que os políticólogos chamam de ‘legitimidade’, ou seja, reconhecendo que a autoridade é legítima consentir em obedecer”, disse o tucano.

As declarações vêm de encontro ao que era defendido, até então, pelo ex-presidente. À época em que as denúncias da JBS contra Michel Temer pipocaram, FHC chegou não só a se manifestar contrário à possibilidade de antecipar o pleito, como classificou a tentativa de golpe. A nota surpreende, também, porque é a primeira vez que o PSDB se mostra favorável à tese, bandeira até então era defendida apenas por partidos de esquerda.

“A ordem vigente é legal e constitucional (dai o ter mencionado como “golpe” uma antecipação eleitoral), mas não havendo aceitação generalizada de sua validade, ou há um gesto de grandeza por parte de quem legalmente detém o poder, pedindo antecipação de eleições gerais, ou o poder se erode de tal forma que as ruas pedirão a ruptura da regra vigente exigindo antecipação do voto”, diz a nota.

Posicionamento

O posicionamento do ex-presidente vem após o PSDB decidir que continuará na base do governo Temer, mesmo com parte do grupo pressionando pelo desembarque. E expõe ainda mais o racha na legenda. “Se tudo continuar como está, com a desconstrução contínua da autoridade – pior ainda se houver tentativas de embaraçar as investigações em curso – não vejo mais como o PSDB possa continuar no governo”, pontuou.

Fernando Henrique diz, ainda, na nota, que os partidos precisam deixar de lado seus interesses e pensar no país. “Ou se pensa nos passos seguintes em termos nacionais e não partidários nem personalistas ou iremos às cegas para o desconhecido”, ponderou.

“Preferiria atravessar a pinguela, mas se ela continuar quebrando será melhor atravessar o rio a nado e devolver a legitimação da ordem à soberania popular”, concluiu o ex-presidente. Para convocar as eleições de forma antecipada, é preciso alterar a Constituição, utilizando como meio a proposta de emenda constitucional (PEC) no Congresso.

Via FolhaPE

Comentários

Anterior Proxima Página inicial