Prefeitos discutem crise, falam em emissão de carta aos órgãos de controle e contabilizam emendas




Prefeitos ligados ao Cimpajeú - Consórcio de Integração dos Municípios do Pajeú estiveram reunidos nesta quinta-feira (26), na sede da entidade em Afogados da Ingazeira-PE.

Entre as pautas, a emissão de uma carta endereçada aos órgãos de controle estaduais, em tom de compreensão, em torno da Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF, que atormenta os prefeitos já que, vão ter um corte previsto para os meses de novembro e dezembro de 41%, no repasse do FPM - Fundo de Participação dos Municípios.

Sobre a carta, Marconi Santana, presidente da entidade colocou a necessidade de pedir um equilíbrio ao Ministério de Contas e Tribunal de Contas.

"Precisamos fazer um documento ao TCE para que ele reveja estes 54%", alertou.

Manuca, gestor de Custódia, em uma movimentação mais inquieta, chamou a atenção dos prefeitos, para que busquem se unir em torno das causas municipalistas.

"Se for assim nós vamos ficar só em teoria", sustentou ao defender uma união mais expressiva dos prefeitos em direção aos órgãos de controle.

Após a intervenção do prefeito de Custódia, Marconi lembrou:

"Mesmo depois da nossa presença em Brasília, muitos deputados votados no Pajeú votaram a favor de Temer. E nós não vamos ter ajuda do governo federal", alertou.

Ainda foi discutido a emissão de uma carta a superintendência do Banco do Brasil, para que reabra as unidades de Flores e Iguaraci.

O prefeito que lidera o consórcio, ainda comemorou as emendas alocadas, que serão investidas na compra de uma usina de asfalto.

"Nós consolidamos a nossa compra da usina de asfalto. Nós já temos o dinheiro para a compra da usina".

As emendas foram asseguradas pelos deputados federais, André de Paula R$ 200 mil, Danilo Cabral R$ 300 mil, Kaio Maniçoba R$ 300 mil e o senador Humberto Costa R$ 300 mil. (Júnior Campos)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial