Mesmo réu na Lava Jato, a força de Lula ainda assusta



Durante palestra, numa faculdade de Jornalismo de São Paulo, o diretor geral do Datafolha, Mauro Paulino, afirmou com base em pesquisas que o ex-presidente Lula, mesmo tendo sido condenado pelo juiz Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e ocultação de patrimônio, ainda é um peso pesado para a sucessão presidencial de 2018. Segundo garantiu, o líder petista, caso não possa ser candidato se porventura for alcançado pela Lei da Ficha Limpa, transferiria 26% dos seus votos para qualquer outro candidato que tiver o seu apoio. É uma força eleitoral e tanto, pois 01 (um) em cada grupo de 04 (quatro) eleitores revela o desejo de segui-lo. Esse é o quadro eleitoral de hoje. Mas, segundo o mesmo Mauro Paulino, ele pode se alterar no curso da campanha. Para ele, se porventura o ex-presidente tiver a condenação de Moro co nfirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (Porto Alegre) e ele for fotografado com algemas, poderá transformar-se em “vítima” e seu potencial de votos ser ampliado. Portanto, convém não subestimar o ex-presidente nem solto e nem preso, pois, conforme ele próprio diz, a “jararaca” ainda está viva. 

Comentários

Anterior Proxima Página inicial