Ao lado de Lula em São Paulo, Humberto vê condenação do TRF-4 como política e sem prova NK


Foto: Internet

Após passar o dia com o ex-presidente Lula, na capital paulista, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), criticou a decisão da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) de manter a condenação imposta a Lula pelo juiz Sérgio Moro e ainda determinar a ampliação da pena de 9 anos e meio para 12 anos e um mês. Para ele, o processo contra o ex-presidente é repleto de vícios, politizado e não revela absolutamente nenhuma prova. 

O senador segue, na noite desta quarta-feira (24), para a Praça da República, em São Paulo, onde participa de novo ato ao lado do ex-presidente Lula. Humberto classificou o dia de hoje como vergonhoso para a história do país, mas, apesar da derrota no tribunal em Porto Alegre, ele acredita que Lula sai politicamente fortalecido, junto com o povo, para disputar a Presidência da República nas eleições de outubro. 

Para o senador, esta quarta-feira ficou como uma mancha na trajetória do Judiciário e marcada como mais um passo do golpe contra o Estado Democrático de Direito, que começou a ser aplicado – com o apoio de parte do empresariado, da grande mídia e de setores da Justiça e do Ministério Público – com a derrubada da presidenta Dilma Rousseff. 

“O que vimos hoje foi um ‘julgamento’ em que magistrados discursaram como políticos e condenaram, reconhecidamente sem provas, um cidadão por um crime que não houve. Existe muita perseguição e inexistem provas. O verdadeiro julgamento é o do povo e, nesse tribunal das ruas, Lula não só é absolvido, como será eleito presidente pela 3ª vez”, afirmou. 

Segundo o líder da Oposição, a força do ex-presidente fica evidente quando se vê a presença de milhares de pessoas nas ruas em cidades espalhadas por todo o país. Humberto participou de um grande ato de apoio ao ex-presidente no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo (SP), no fim da manhã. Segundo o parlamentar, Lula foi recebido com bastante carinho pelo público presente e, mais uma vez, demonstrou bastante tranquilidade em relação à sua inocência.

“O que a gente mais pergunta é: onde estão as provas? A defesa do ex-presidente apresentou, de forma contundente, um conjunto de provas que demonstra a inexistência de culpa por parte de Lula. Ficou claro que ele nunca foi o dono, nunca recebeu as chaves do apartamento e nunca passou uma noite lá sequer”, ressaltou.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial