Em Pernambuco, Combate da violência contra mulher é prioridade, Diz governador



André Nery / Acervo / JC Imagem

A violência contra mulher vitimou inúmeras mulheres em 2017. Foram muitos casos de grande repercussão, como a morte de Mirella Senada estudante encontrada morte após sair para entrevista de emprego e o caso Remís Carla. Além disso, entre os meses de janeiro e novembro, a Secretaria de Defesa Social registrou 30.182 casos de violência doméstica e familiar contra a mulher e 1.961 estupros.

Neste ano, também aconteceram importante medidas na luta para que crimes como estes seja extintos. Em setembro, o governador Paulo Câmara assinou um decreto que institui o feminicídio como registro de crimes em Pernambuco. Mesmo com lei já existente, a polícia não registrava casos de violência de gênero. A partir da data, passou-se a aderir ao protocolo latino americano que investiga mortes violentas por razão de gênero. A mudança, substituiu o uso da motivação ‘crime passional’ nos boletins de ocorrência e passou a adotar a tipificação do feminicídio.

Já em novembro de 2017, o Governo de Pernambuco sancionou uma lei que institui a data 5 de abril como o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio. A lei de nº 16.196, de autoria da deputada estadual Simone Santana, foi sancionada e a data escolhida é mesma do assassinato da fisioterapeuta Mirella Sena, morta em seu flat em Boa Viagem.

2018

Para 2018, o governador prometeu que continuará nesta luta e que o combate à violência contra mulher é uma prioridade. “Estamos atuando junto com a Secretaria da Mulher para lutar contra estes casos e para que, caso aconteça, a mulher denuncie. É inadmissível que ainda sejamos um País no qual as mulheres sejam agredidas de forma covarde”, considera.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial