Hospital Universitário recebeu mais de 400 vítimas de acidente de moto em 2017


Foto: (Larissa Paim/G1)

O Hospital Universitário de Petrolina registrou números alarmantes em relação a vítimas de acidentes de motos. De acordo com a instituição, até o dia 27 de dezembro de 2017, a unidade recebeu 438 vítimas de acidentes . Apenas no dia 24 de dezembro, véspera de natal, deram entrada 34 acidentados. Na maioria dos casos, a causa dos acidentes é a imprudência dos condutores de veículos.

O técnico em informática, Diego Luiz Novais, precisou fazer uma cirurgia após um acidente de moto. Ele disse que não enxergou o quebra-molas, que estava sem sinalização, quando surgiu um cachorro em frente ao veículo, e ele acabou caindo da motocicleta.Diego ficou afastado do trabalho por cinco meses.

Para a cirurgia e tratamento, Diego contou com o plano de saúde que cobriu todas as despesas. “Me levaram para o hospital, cuidaram dos ferimentos. Chegando lá, bateram um raio x do ombro, porque eu estava sentindo dor no ombro. E através desse exame, descobriram que tinha que fazer uma cirurgia”.

Para quem não tem plano de saúde o jeito é recorrer ao sistema público. Foi o que fez o auxiliar financeiro, Osmar Bruno da Silva. Ele sofreu um acidente de moto e foi levado para o HU no dia 17 de dezembro.”O mototaxista foi dobrar na rua para entrar, e enquanto ele foi dobrar, o carro que seguia através tentou ultrapassar e bateu na moto que eu estava vindo. A pancada foi toda na minha perna e quando eu vi, já estava com fratura exposta”.

O gerente de Atenção à Saúde do HU, Luiz Ótavio, revela que o Hospital Universitário está ficando superlotado. Isso prejudica o atendimento na unidade, além de causar impacto econômico no sistema público de saúde. “É um alto custo com alimentação dos acompanhantes, dos pacientes que requerem acompanhante. E isso gera um problema sério e evidentemente um custo. Um hospital que é programado com verba para ser de 30 leitos, e não raro, ele está com quase o dobro que isso aí”.

A oitava Gerência de Saúde que atende os municípios de Petrolina, Afrânio, Dormentes, Lagoa Grande, Cabrobó e Orocó resolveu convocar vários setores da sociedade como saúde, segurança, educação e mobilidade urbana para agirem juntos. “2016 para 2017 foi verificado uma diminuição de 27% dos óbitos em acidentes de trânsito e também na redução do número de acidentes que não levaram a vítimas fatais, explica a coordenadora de vigilância em Saúde Bruna Matos.

De janeiro até o dia 27 de dezembro foram registrados 6.059 acidentes. Desses 5.861 aconteceram em Petrolina. Até o mês de setembro, o número de mortes aqui na região chegou a 94. 72 foram em Petrolina, seis em Santa Maria e quatro em Dormentes.(G1)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial