Quem vai ressarcir o Corinthians em caso de derrota de R$ 400 milhões?



O Corinthians tem condições de reverter na Justiça a decisão que torna imediato o pagamento do financiamento de R$ 400 milhões para a construção de seu estádio. Porém, o clube precisa agir com urgência para se previnir contra um eventual desastre.

Já deveria estar em curso um estudo sobre a viabilidade de fazer os responsáveis pelo negócio cobrirem um eventual rombo com seu patrimônio.

Em caso de condenação em última instância, o alvinegro pode até perder os terrenos em que fica sua sede, o Parque São Jorge. Se isso acontecer, ficará claro que para a Justiça dirigentes colocaram o clube numa operação irregular. Nesse caso, nada mais justo do que os responsáveis pagarem do próprio bolso o prejuízo.

A Justiça indica que esse é o caminho ao colocar o ex-presidente da Caixa Econômica Jorge Fontes Hereda entre os que devem pagar já para o banco a dívida referente ao empréstimo de R$ 400 milhões junto ao BNDES.

Porém, no Corinthians a situação é complexa. O atual presidente, Andrés Sanchez, foi um dos idealizadores da operação. Ele segue defendendo a lisura do negócio. Impossível imaginar que ele agiria para usar seu próprio patrimônio para ressarcir o clube.

Sanchez disse recentemente que não fez nada sozinho já que o Conselho Deliberativo aprovou a negociação. Verdade. Então, esses conselheiros, em tese, também devem ser cobrados para ressarcir o Corinthians em caso de prejuízo. O assunto rende um extenso debate jurídico.

Como boa parte do conselho é a mesma que aprovou a operação, cabe a sócios e novos membros do conselho iniciar o movimento preventivo para evitar que o clube seja o maior prejudicado no final das contas. (Blog do Perrone)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial