Turbulência na Petrobras lembra que o Brasil não é uma planilha de Excell




Estabeleceu-se uma batalha de discursos por conta do pedido de demissão, nesta sexta (1), do presidente da Petrobras Pedro Parente. Ele não concordava em mudar a política de preços de combustíveis da companhia, que tem acompanhado variações do dólar e do preço do barril de petróleo no exterior, frente à greve dos caminhoneiros. Acatando a exigência de Parente, o governo acabou jogando nas costas da população parte do custo do desconto de R$ 0,46 por litro de diesel.

Parte dos que travam essa discussão do lado do poder econômico tentam mostrar a ''sensatez do mercado'' em oposição ''à loucura, ao populismo e aos interesses escusos'' de quem o critica. Esse tipo de maniqueísmo econômico é muito bom para contos de fada, mas não cabe na vida real.

Nossa ideologia vai conosco para toda parte. Adotamos ou escolhemos formas diferentes de filtrar e interpretar a realidade à nossa volta fazendo com os acontecimentos signifiquem coisas diferentes para você, para mim e para os outros.

Tudo tem base ideológica. Somos guiados por conjuntos de ideias e adotamos diferentes formas de interpretar os fatos do mundo. O importante é saber se a nossa base é includente ou excludente. Ou seja: se queremos que mais seres humanos aproveitem da mesma dignidade que desejamos para nós mesmos. Ou se defendemos que eles devem esperar mais um pouco para que a economia cresça e, só depois disso, eles retirem seu pedaço. (Blogdosakamoto)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial