Sobe 37% número de queimados no São João



Do G1

O Hospital da Restauração (HR), referência no atendimento de queimados, no Centro do Recife, recebeu 76 pacientes que se acidentaram com fogos e em fogueiras, entre 15 de junho e a segunda-feira (2). O número representa um crescimento de 37%, na comparação com o mesmo período de 2017, quando houve 55 vítimas.

O chefe da unidade de queimados do HR, Marcos Barretto, apontou que o problema foi potencializado pelas comemorações em dias de jogos da Copa do Mundo, quando muitas pessoas soltam fogos de artifício. “É mais um adicional”, justificou.

“A gente teve um aumento bem expressivo em relação aos acidentados dos anos anteriores. Foi um São João muito mais violento em termos de danos”, afirmou o médico.

Do total de pacientes, 30 precisaram ficar internados na unidade, equivalente a 40% do total de vítimas de acidentes. Segundo o HR, este ano, foi possível identificar agravamento nos ferimentos e o aumento do número de adultos acidentados.

Este ano, a quantidade de internações também teve aumento, na comparação com o mesmo período de 2017, quando foram registrados 20 casos. Isso representa um acréscimo de 33% e aponta, segundo Marcos Barretto.

Do total de pacientes internados neste período, 16 permaneciam na unidade de saúde até esta terça-feira (3), sendo 10 crianças e seis adultos, com ferimentos de diferentes gravidades.

Entre as crianças, seis estão na unidade de queimados e quatro em outros setores, porque o acidente com fogos ou foqueira causou outras lesões, como fraturas ou perda de dedos das mãos.

Entre os adultos, dois estão na unidade de queimados, três em outros setores, com lesões mais graves, e um na emergência.

“Tivemos mais pacientes com lesões associadas. Este ano, a gente teve mais gente com fraturas e com mãos estouradas por causa de fogos e fogueiras. Tudo aumentou. Acho que é mais descuido, as pessoas estão se arriscando mais”, disse o chefe da unidade de queimados do HR.

O comerciante Valdir Fastino, de 59 anos, é um dos pacientes internados na unidade de saúde. Ele se queimou na frente da casa onde mora, no bairro do Janga, em Paulista, no Grande Recife, quando acendia a foqueira de São João com álcool.

“Eu tenho mais de 30 anos de experiência acendendo foqueira, mas este ano troquei o diesel por etanol. Ela não tava acendendo e quando eu coloquei mais, deu retorno e a vasilha que estava na minha mão explodiu em cima de mim”, contou o comerciante.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial