Editorial do ‘Guardian’ diz que Bolsonaro é uma ameaça: ‘pior do que Trump’



Um editorial publicado nesta quinta-feira pelo jornal britânico ''The Guardian'' diz que Jair Bolsonaro representa uma ameaça ''imensa'' à democracia brasileira. Segundo a publicação, o ''risco impensável'' de que ele se tornasse presidente do Brasil agora é real.

''Chamar ele de o Donald Trump da América Latina, como alguns fizeram, é ser gentil demais. Bolsonaro é um misógino e homofóbico cujas opiniões sobre comunidades indígenas e o ambiente são muito sombrias. Ele elogia torturadores e a ditadura militar que governou o Brasil entre 1964 e 1985. Ele recentemente defendeu disparos contra seus oponentes. Sua intolerância é retratada como 'honestidade''', diz o editorial.

Segundo o ''Guardian'', Bolsonaro se aproveitou dos problemas do Brasil para catapultar uma campanha populista. ''Mas ele atrai sua força de velhas forças brasileiras: os militares, fazendeiros ricos e empresários, conservadores, igrejas evangélicas estão apoiando ele''.

A situação crítica da política brasileira, segundo o jornal inglês, indica que mesmo que Bolsonaro seja derrotado, ''as forças que levaram a sua ascensão não vão desaparecer''.

''Reconstruir a economia, reduzir a criminalidade e lutar contra a corrupção são essenciais para construir uma cultura política mais saudável'', diz.

A opinião do jornal, que é uma das principais publicações do Reino Unido, se alinha ao que foi publicado recentemente pela revista ''The Economist''. Em sua capa, a publicação chamou Bolsonaro de a mais recente ameaça na América Latina. (Uol)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial