Aumenta o número de mortos por tsunami no Estreito de Sunda


Pelo menos 168 pessoas morreram e 745 ficaram feridas por causa do tsunami da noite de sábado no estreito de Sunda, entre as ilhas de Sumatra e Java, na Indonésia, informam neste domingo equipes de emergência locais.

Sutopo Purwo Nugroho, porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres (BNPB), também afirmou que há 30 pessoas desaparecidas e alertou sobre a possibilidade de um segundo tsunami por causa da contínua atividade do vulcão Anak Krakatau, em entrevista coletiva transmitida pela imprensa local.

As autoridades atribuem a um possível desprendimento de terra submarino causado pela erupção do vulcão Anak Krakatau as causas do desastre natural, que não ativou os alarmes por não ter acontecido um potente terremoto.

"No caso de terremotos, a possibilidade de um segundo tsunami é muito pequena. Mas como este foi causado por uma erupção, o cenário é diferente", comentou antes Rahmat Riyono, diretor da Agência Meteorológica, Climatológica e Geofísica da Indonésia, em outra entrevista.

Este vulcão, de 305 metros de altura, expulsou ontem à noite magma, rochas e uma coluna de fumaça a mais de meio quilômetro de sua cúpula e 25 minutos depois chegaram as ondas - de até dois metros de altura - ao litoral.

Sutopo afirmou que o número total de vítimas poderia continuar subindo à medida que se tenha acesso a lugares onde até o momento os serviços de emergência não chegaram.

As equipes de emergência com ajuda de máquinas pesadas tentam encontrar possíveis sobreviventes entre os escombros, e recomendam à população local que evite se aproximar do litoral.

O tsunami afetou especialmente o distrito de Pandenglang, a cerca de 100 quilômetros a oeste de Jacarta e um local de férias para os moradores da capital, onde muitos turistas estavam nas praias quando as ondas gigantes chegaram, afirmou Sutopo.

No dia 28 de setembro, um terremoto de magnitude 7,5 na região central da ilha de Célebes desencadeou um tsunami que deixou 2.081 mortos e mais de 200 mil deslocados, a maioria na cidade de Palu e em seus arredores.

Entre 29 de julho e 19 de agosto, uma série de tremores na ilha de Lombok, perto da ilha de Bali, causaram 564 mortos e mais de 400 mil deslocados, a maioria deles após um devastador terremoto de magnitude 6,9 no dia 5 de agosto.

A Indonésia fica sobre o Anel de Fogo do Pacífico, uma área de grande atividade sísmica e vulcânica que é sacudida todo ano por cerca de 7.000 tremores, a maioria moderada.

(09:30h) - Dados atualizados pelas autoridades indonésias informam que já foram confirmadas 222 mortes e 840 feridos. (EFE)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial