Depósitos de Queiroz foram pagamento de empréstimos, afirma Bolsonaro



Foto: Agência Brasil
Estadão Conteúdo

O presidente eleito Jair Bolsonaro justificou os depósitos de Fabrício José de Queiroz (ex-assessor de seu filho Flávio) na conta de sua mulher, Michelle Bolsonaro, como pagamento de empréstimos feitos por ele ao ex-funcionário, mas não explicou porque o ex-funcionário e sua filha, Natália, foram exonerados em outubro, após o primeiro turno da eleição. O presidente eleito disse que não declarou as operações ao Imposto de Renda porque as dívidas foram se avolumando.

"O empréstimo foi se avolumando e eu não posso, de um ano para o outro, (colocar) mais R$ 10 mil, mais R$ 15 mil. Se eu errei, eu arco com a minha responsabilidade perante o fisco. Não tem problema nenhum", declarou.

Bolsonaro explicou que conhece Fabrício Queiroz, ex-funcionário do gabinete de seu filho, o deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro, desde 1984. Nesse período, disse, a relação entre dois se intensificou. O presidente eleito disse não ter se encontrado com Queiroz após a divulgação das investigações do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sobre a movimentação atípica de R$ 1,23 milhão, entre 1º de janeiro de 2016 e 31 de janeiro de 2017.

"Eu não conversei com ele. Se ele quiser conversar comigo mas acho que não seria prudente", declarou, após participar de um evento na Escola Naval.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial