Procurador-geral do Rio diz que MP pode denunciar Queiroz sem ouvi-lo



O procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, Eduardo Gussem, afirmou nesta segunda-feira (14) que Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL) pode ser denunciado mesmo sem depor no inquérito que o investiga por movimentações atípicas em uma de suas contas identificadas pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), órgão do Ministério da Justiça e da Segurança Pública.

"O MP pode, através das provas documentadas, chegar à conclusão de que é possível uma propositura penal, e aí ele vai ter que se explicar à Justiça", afirmou Gussem, quando questionado sobre o fato de Queiroz, por meio da sua defesa, ter oferecido laudos médicos que comprovam um tratamento de câncer na cidade de São Paulo. A previsão é de que as sessões de quimioterapia se estendam por seis meses. O ex-assessor de Flávio faltou duas vezes à convocação de depoimento pelo MP sob alegação de problemas de saúde.

Neste fim de semana, veio à público um vídeo em que Queiroz aparece dançando com a família no hospital. A defesa dele disse, no último sábado (12), que as imagens foram feitas "no raro momento de descontração na visita deles no Albert Einstein", "pois ele passaria por uma grave cirurgia nas horas seguintes, inclusive com risco de morte".

Fonte: Uol

Comentários

Anterior Proxima Página inicial