Bolsonaro é o presidente estreante mais mal avaliado em 24 anos, diz Ibope

Imagem Internet

Do UOL, em São Paulo

A presidência de Jair Bolsonaro (PSL) é considerada "ótima ou boa" por 34% dos brasileiros. Essa é a pior avaliação para um terceiro mês de um presidente estreante (ou seja, desconsiderando os segundos mandatos) nos últimos 24 anos, mostra pesquisa do Ibope divulgada hoje.

Segundo o Ibope, que ouviu 2.002 pessoas entre 16 e 19 de março, Bolsonaro é menos bem avaliado agora do que foi Fernando Henrique Cardoso (PSDB) em 1995, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 2003 e Dilma Rousseff (PT) em 2011.

Levando-se em conta os segundos mandatos, os 34% de avaliação positiva de Bolsonaro o colocam à frente de Fernado Henrique após à reeleição (22% em março de 1999) e do segundo mandato de Dilma (12% em março de 2015), mas atrás de Lula em março de 2007 (49%).

Segundo a pesquisa, 34% das pessoas ouvidas acham que o governo Bolsonaro é "regular", e quase um quarto (24%) avalia a gestão Bolsonaro como "ruim ou péssima".

Queda em relação ao início do governo

O Ibope também diz que houve uma queda de 15 pontos na avaliação positiva do governo, e subiu 13 pontos o percentual de entrevistados que avaliam o governo negativamente desde o início do ano.

A confiança dos brasileiros no presidente também sofreu alterações desde o começo do governo.

Em janeiro, a maioria dos entrevistados (62%) dizia confiar em Bolsonaro, enquanto 30% das pessoas não confiavam e outros 6% preferiram não opinar.

Veja alguns outros dados estipulados pela pesquisa Ibope divulgada hoje:

Ricos e brancos avaliam melhor Bolsonaro: 49% dos que ganham mais de cinco salários mínimos avaliam positivamente o governo, o melhor índice entre os entrevistados; avaliação positiva também é maior entre os que se declaram brancos: 42% classificam como positivo o governo.

Nordeste lidera retração: 23% dos moradores da região classificaram o governo como bom ou ótimo na pesquisa de março; em relação a janeiro, houve uma queda de 19 pontos percentuais. Os moradores do Nordeste também são os que mais desaprovam a forma de o presidente governar: 49% não compactuam com a maneira Bolsonaro fazer política.

Evangélicos são os que mais confiam em Bolsonaro: Segundo o Ibope, 56% dos entrevistados que se identificam com a religião evangélica dizem confiar no presidente, o maior número entre os 31 segmentos avaliados.

Cidades das periferias têm grande aumento na avaliação negativa: Entre a pesquisa do Ibope em janeiro e a divulgada hoje, houve um aumento de 21 pontos percentuais entre os entrevistados que residem nas cidades das periferias brasileiras. 8% avaliavam como ruim ou péssima em janeiro, passando para 19% em fevereiro e chegando a 29% em março.

A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial