Sport bate o Náutico nos pênaltis e conquista título Pernambucano


“São gerações e corações fazendo a história. São campeões e emoções tecendo a glória. Do bravo Leão da Ilha, Sport obsessão”, o time rubro-negro é 42 vezes campeão Pernambucano. No embalo do hino oficial do clube, a equipe leonina voltou a conquistar um título na Ilha do Retiro – o último foi o Estadual de 2010. Apesar de ter perdido no tempo regulamentar por 2×1, o Leão venceu na disputa de pênaltis por (4×3), com Maílson defendendo duas cobranças: Rafael Oliveira e Diego Silva.

Por se tratar de uma decisão, o clássico entre Sport e Náutico começou com os ânimos bastante exaltados. A cada jogada disputada, um braço deixado no peito, um chute a mais por baixo ou um bate-boca acalorado. Diante de um início quente, não demoraria muito para que os primeiros jogadores fossem expulsos. Logo aos sete minutos, Suéliton deu uma cabeçada em Hernane, que revidou com um tapa no rosto do zagueiro alvirrubro – após sete minutos de paralisação para conter a confusão generalizada, os dois receberam o cartão vermelho.

Com a temperatura da partida amenizada, os rubro-negros encontraram o gol logo que a partida foi reiniciada. Aos 15, Guilherme recebeu passe dentro da área, tentou o drible em Bruno, mas foi derrubado pelo goleiro alvirrubro. O próprio camisa 11 foi para a cobrança e abriu o placar: 1×0.

Mesmo com mais espaço em campo, já que dois atletas foram expulsos, os dois times não conseguiam tirar proveito e concentravam suas ações pelo meio. Aos 31, Ronaldo avançou com liberdade e ao invés de abrir a jogada, optou por um arremate de muito longe… A bola pegou efeito e o goleiro Bruno espalmou para o lado, afastando o perigo.

Como o Náutico buscava o gol de empate, acabava deixando brechas para a contra-ofensiva leonina. Numa dessas, aos 38 minutos, Ezequiel recebeu passe nas costas de Assis, levantou a cabeça e cruzou para Sander chegar finalizando de primeira, mas o lateral pegou mal na bola e mandou por cima da meta alvirrubra.

O empate timbu viria de um lance polêmico. Aos 39, Diego Silva aperta a saída de bola do Sport e dá um carrinho e rouba a bola de Charles – os rubro-negros ficaram reclamando falta. Na sequência, o zagueiro arrisca um chute, a bola desvia no braço de Danilo Pires e engana o goleiro Maílson: 1×1.

Já nos acréscimos, Wallace Pernambucano arrancou pela direita, entrou na área rubro-negra e chutou forte, no alto. Pra sorte do Leão, a bola explodiu na trave de Maílson e não entrou. (Blog do Torcedor)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial