Câmara recebe abaixo-assinado contra desmatamento da Amazônia


A Frente Parlamentar Ambientalista e a Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável receberam abaixo-assinado exigindo que o Congresso Nacional tome medidas para acabar com o desmatamento da Amazônia. Foram mais 1,1 milhão de assinaturas entregues pelos representantes da Avaaz aos parlamentares em evento nesta quarta-feira (21) na Câmara. O Avaaz é uma comunidade online sem fins lucrativos de mobilização social.

No ato, também foi divulgada pesquisa do Ibope/Avaaz que mostra que 90% dos eleitores querem que o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), e o Congresso Nacional intensifiquem as ações contra o desmatamento da Amazônia. A pesquisa também mostra que 78% dos eleitores de Bolsonaro acreditam que preservar a Amazônia é essencial para o País. O documento também será entregue ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista, deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), afirmou que o resultado da pesquisa mostra que os parlamentares devem atender o desejo do povo brasileiro de defender a Amazônia.

“É um recado claro do Brasil para o Congresso e devemos fazer o dever de casa. Espero que ato político acorde o Parlamento. O poder que aqui se exerce, se exerce em nome do povo. É fundamental cumprir o que o povo espera de nós”, disse Molon.

O presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, deputado Rodrigo Agostinho (PSB-SP), defendeu ações concretas e criticou o governo por não tomar atitudes firmes de fiscalização.

“A sociedade não aceita mais que a gente continue ocupando nosso território da mesma forma que 500 anos atrás, derrubando florestas. Se temos desmatamento, temos desigualdade, temos destruição de direitos, temos contaminação da água. Precisamos de um futuro diferente”, disse.

O coordenador de campanhas da Avaaz, Diego Casaes, afirmou que o tema da defesa da Amazônia não gera divergências entre eleitores de esquerda e de direita. Segundo ele, todos os brasileiros concordam que a Amazônia é motivo de orgulho nacional e preserva-la é fundamental.

“A ideia é que a gente possa criar consenso. Geralmente, o tema dividia as pessoas entre conservadores e progressistas. Não existe brasileiro que defenda a derrubada de árvores, que defenda a criminalidade. Os brasileiros entendem que a Amazônia é parte da nossa identidade e precisa ser preservada”, disse Casaes.

As informações são da Agência Câmara.

No ato, também foi divulgada pesquisa do Ibope/Avaaz que mostra que 90% dos eleitores querem que o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), e o Congresso Nacional intensifiquem as ações contra o desmatamento da Amazônia. A pesquisa também mostra que 78% dos eleitores de Bolsonaro acreditam que preservar a Amazônia é essencial para o País. O documento também será entregue ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista, deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), afirmou que o resultado da pesquisa mostra que os parlamentares devem atender o desejo do povo brasileiro de defender a Amazônia.

“É um recado claro do Brasil para o Congresso e devemos fazer o dever de casa. Espero que ato político acorde o Parlamento. O poder que aqui se exerce, se exerce em nome do povo. É fundamental cumprir o que o povo espera de nós”, disse Molon.

O presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, deputado Rodrigo Agostinho (PSB-SP), defendeu ações concretas e criticou o governo por não tomar atitudes firmes de fiscalização.

“A sociedade não aceita mais que a gente continue ocupando nosso território da mesma forma que 500 anos atrás, derrubando florestas. Se temos desmatamento, temos desigualdade, temos destruição de direitos, temos contaminação da água. Precisamos de um futuro diferente”, disse.

O coordenador de campanhas da Avaaz, Diego Casaes, afirmou que o tema da defesa da Amazônia não gera divergências entre eleitores de esquerda e de direita. Segundo ele, todos os brasileiros concordam que a Amazônia é motivo de orgulho nacional e preserva-la é fundamental.

“A ideia é que a gente possa criar consenso. Geralmente, o tema dividia as pessoas entre conservadores e progressistas. Não existe brasileiro que defenda a derrubada de árvores, que defenda a criminalidade. Os brasileiros entendem que a Amazônia é parte da nossa identidade e precisa ser preservada”, disse Casaes.

As informações são da Agência Câmara.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial