Cientistas descobrem oceano em lua de Saturno

A causa do oceano de Encélado não congelar ainda é desconhecida. Foto: Reprodução

Diário de Pernambuco

Pesquisadores da Agência Espacial Norte-Americana (NASA), descobriram um gigantesco oceano escondido sob a camada de gelo que recobre a superfície da lua Encélado, a sexta maior de Saturno. De acordo com dados da sonda Cassini, os cientistas identificaram a magnitude do satélite ligeiramente oscilante, o que só poderia ser esclarecido pela ocorrência de um interior não sólido, indicando a presença de um mar.

Estudos anteriores sugeriam a presença de um corpo d’água em formato de lente, ou um mar, sob a superfície congelada na região do polo sul. No entanto, dados gravitacionais coletados durante voos rasantes da sonda reforçam a chance de o mar ser global. Os novos resultados, provenientes da análise de imagens da Cassini, confirmam a ideia.

Os pesquisadores observaram fotografias da lua de Saturno captadas durante mais de sete anos pela sonda, que orbita o planeta desde 2004. Os cientistas realizaram um mapeamento das posições de pontos característicos do satélite (normalmente, crateras), em milhares de imagens, com o objetivo de mensurar com precisão as alterações na rotação da lua.

O resultado da análise é que Encélado tem uma pequena, mas mensurável oscilação ao orbitar Saturno. Como não é totalmente esférica, e sua velocidade não é constante ao longo da órbita, o planeta gigante repele e atrai Encélado enquanto ela se rotaciona.

Entretanto, a causa do oceano de Encélado não congelar ainda é desconhecida. Os pesquisadores sugerem algumas hipóteses para futuros estudos que podem solucionar o problema, incluindo a possibilidade das forças das marés estimuladas pela gravidade do planeta gerarem mais calor do que se pensava.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial