Menino nasce com condição rara e tem o cérebro dentro do nariz na Inglaterra



Uma família inglesa, do condado de Wales, teve uma surpresa após o nascimento do seu segundo filho. É que o bebê, um garotinho que hoje tem dois anos e meio, é portador de uma síndrome rara conhecida como encefalocele. Esta condição descreve casos em que o cérebro se desenvolve fora do crânio e, no caso do pequeno Ollie, o desenvolvimento aconteceu mais especificamente dentro do seu nariz. Apesar de não ter completado três anos ainda, Ollie já passou por diversas cirurgias de alto risco, tudo isso na tentativa de ajudar o menino a respirar melhor. Em entrevista ao Daily Mail, Amy Poole, mãe de Ollie, de 22 anos, contou que o filho já chegou a ouvir diversos comentários preconceituosos por causa da sua condição de saúde."É de partir o coração.

Uma vez, uma mulher me disse que eu nunca deveria ter dado a luz a ele. Eu quase comecei a chorar", desabafou. "Para mim, Ollie é perfeito. Ele é o meu Pinóquio da vida real e eu não poderia ter mais orgulho dele". A primeira notícia de que algo diferente estava acontecendo com o seu filho veio através dos médicos de Amy durante uma ultrassonografia. Ainda na 20ª semana de gestação, ela descobriu que algo de "inesperado" estava crescendo no rosto da criança. Apesar dos avisos e da explicação médica, Amy ficou chocada quando viu Ollie pela primeira vez, em fevereiro de 2014, após seu nascimento.

"Eu quase não conseguia falar. Ele era tão pequeno, mas havia essa enorme bola do tamanho de uma bola de golfe em seu nariz", contou ela, que tinha acabado de passar pelo processo de divórcio com o pai do menino. "Em um primeiro momento, eu não sabia se ia dar conta. Mas sabia que ia amá-lo não importava qual fosse sua aparência". Pouco tempo depois, uma ressonância magnética provou que a protuberância no nariz do bebê era causada por uma encefalocele. O nariz continuava crescendo conforme o menino se desenvolvia, então os médicos decidiram fazer uma cirurgia em Ollie para que ele pudesse respirar com mais facilidade. A ideia era abrir o canal nasal da criança. Ainda em entrevista ao Daily Mail, Amy falou sobre os medos envolvendo uma cirurgia tão invasiva. "Eu fiquei com muito medo de deixá-lo passar por tamanha cirurgia. Ele era tão frágil, e eu não conseguia nem pensar na possibilidade de perdê-lo", desabafou. "Mas os médicos explicaram que deixa-lo daquela maneira aumentava demais o risco de contrair infecções, e até mesmo meningite, caso ele caísse e batesse o nariz, por exemplo.


Então, acabei concordando com a operação". No futuro, o garotinho ainda precisará de outras intervenções cirúrgicas, mas os médicos precisam fazer o acompanhamento para analisar o desenvolvimento da criança. "Fazemos check-ups regularmente, e as coisas estão indo muito bem. Ollie provavelmente nunca vai ter a aparência normal de outras crianças, e tenho pânico só de pensar no que ele vai ouvir na escola. Mas ele é um garoto tão adorável, é tão difícil não gostar dele", comentou a mãe. Segundo Amy, apesar da condição médica rara, ela considera o seu filho perfeito. "Até porque, não há nada de errado em ser diferente", concluiu. 

Fonte: Rede Brasil de Notícias

Comentários

Anterior Proxima Página inicial