Pernambuco tem 1.185 casos suspeitos de microcefalia. Número representa 37,33% das notificações do Brasil


Imagem de mulher segurando bebê com microcefalia (Foto: Diego Nigro / JC Imagem)

O Ministério da Saúde divulgou, nesta terça-feira (5), o primeiro informe epidemiológico de 2016 sobre os casos suspeitos de microcefalia relacionada ao vírus zika. As informações são referentes aos dados até o dia 2 de janeiro. Desde o início das investigações, foram notificados 3.174 casos suspeitos da malformação em recém-nascidos de 684 municípios de 21 unidades da federação. O Estado de Pernambuco, o primeiro a identificar aumento de microcefalia, continua com o maior número de casos suspeitos (1.185), o que representa 37,33% do total registrado em todo o País. Em Pernambuco, há mais um óbito suspeito por microcefalia (ao todo, são quatro no Estado).

Depois de Pernambuco, estão os Estados da Paraíba (504), Bahia (312), Rio Grande do Norte (169), Sergipe (146), Ceará (134), Alagoas (139), Mato Grosso (123) e Rio de Janeiro (118).

Pela primeira vez, está sendo investigado um caso no Estado do Amazonas. Também estão em investigação 38 óbitos de bebês com microcefalia no Brasil possivelmente relacionados ao vírus zika. (NE10/Casa Saudável)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial