Excesso de chuva prejudica a produção de cebola em Cabrobó


Produção de cebola em Cabrobó (Foto: Reprodução / TV Grande Rio)

No Sertão pernambucano a chuva tão esperada por muitos agricultores foi em excesso para o cultivo de cebola de Cabrobó, município com maior número de produtores do vegetal. Na região, o índice pluviométrico chegou a 279 milímetros, segundo a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac).

O agricultor Francisco Viana é produtor de cebola há 45 anos e já conhece como realizar o plantio. Ele tem uma área de 45 hectares onde plantou 14 kg em dezembro de 2015. Mas a cebola que já era para estar bem desenvolvida está amarelada. O aspecto é de um produto queimado o que pode significar prejuízo na colheita.

“Ela não tem como passar nitrogênio para a cabeça, então a tendência é perder. Se continuar, a chuva do jeito que está eu tenho certeza que aqui o prejuízo vai ser grande”, disse o agricultor. E ele já calcula uma despesa de, no mínimo, R$ 200 mil. A roça de Francisco não é a única que está alagada e que corre o risco de perder toda a produção.

Somente no ano passado, a área plantada de cebola no município chegou a 600 hectares, com produção de cerca de 25 toneladas por hectare. Números que podem não se repetir este ano se continuar chovendo forte na região. Segundo a Apac, a chuva superou 300% em relação à média histórica do mês, que era de 78,42 mm.

O prejuízo já está sendo percebido no mercado, pois o produto começa a diminuir nas bancas das feiras. A tendência é aumentar o preço. “O preço aumenta porque o produtor não tem o que fazer chovendo”, ressalta o produtor Antônio dos Santos.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Ed Ramos, afirma que ainda não é possível calcular o tamanho do prejuízo e que isso só vai ser possível no fim da safra. “A chuva proporcionou uma dificuldade no processo de maturação da cebola e como nós estamos também na entressafra, o preço subiu. Mas aquela cebola que não conseguiu a maturação perfeita, ela está com um preço muito inferior”, explicou o secretário. (G1)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial