Lula: "Vítima de atos injustificáveis de violência"



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou nesta quinta-feira à noite uma carta aberta ao país em que se diz inconformado com a divulgação dos últimos grampos pela Lava-Jato, mas também confiante na isenção da Justiça. Essas foram as primeiras palavras do petista depois que tomou posse como ministro da Casa Civil e, horas depois, teve a nomeação suspensa. A carta chamou a atenção pelo tom conciliador de Lula em relação ao Judiciário, algo muito diferente da postura adotada por ele em recentes pronunciamentos.

“Nas últimas semanas, como todos sabem, é a minha intimidade, de minha esposa e meus filhos, dos meus companheiros de trabalho que tem sido violentada por meio de vazamentos ilegais de informações que deveriam estar sob a guarda da Justiça. Sob o manto de processos conhecidos primeiro pela imprensa e só depois pelos diretamente e legalmente interessados, foram praticados atos injustificáveis de violência contra minha pessoa e de minha família”, diz Lula na carta.

Depois de ser flagrado em escutas dizendo que ministros do Supremo Tribunal Federal se 
“acovardaram”, Lula faz no texto um gesto à Corte. ( O Globo - Silvia Amorim )

Comentários

Anterior Proxima Página inicial