Água é tema de Escola Bíblica com crianças e adolescentes em Iguaraci (PE)




Um fim de semana com reflexão bíblica e conscientização social. Foi assim com cerca de 80 crianças e adolescentes do município de Iguaraci, no Sertão do Pajeú (PE), que participaram nos dias 02 e 03 da Escola Bíblica Intensiva (EBI), promovida pelo projeto “Escolinha Joga 10”. A formação, que aconteceu na Igreja Presbiteriana Memorial, contou com uma série de atividades educativas baseadas na Semana da Água. O projeto tem o apoio da agência inglesa Tearfund e a assessoria da Diaconia, representada na ocasião pela assessora político-pedagógica Risoneide Lima.

Na programação, apresentação de vídeos, peças teatrais, oficinas e palestras sobre o contexto de escassez vivenciado no mundo e na região, e as diversas formas de economizar e reutilizar a água, com base no tema ‘Ressurreição e Cidadania’ e no texto bíblico “E quem quiser, tome de graça da água da vida” (Apocalipse 22.17). Mães e pais das crianças e adolescentes também participaram do encontro.

Para uma das educadoras do projeto, a agente de saúde Adriana Macena Godé, a repercussão foi bastante positiva, nesta que é a segunda edição da Escola: “Resolvemos trabalhar a realidade da Páscoa com um viés social, de que precisamos também ressuscitar algumas atitudes e comportamentos que promovam cidadania. Diferente do que escutamos por aí, as crianças já são o presente da Igreja e da sociedade, pela sua capacidade de captar rapidamente os conhecimentos, e assim podermos trabalhar a prevenção e a formação. E a Igreja tem que ter esse papel de orientar, acompanhar”, afirma Adriana. Até dezembro, mais três escolas já estão planejadas, com temas diversos.

Escolinha Joga 10 - O projeto é realizado através de uma parceria entre as Igrejas Batista e Presbiteriana Memorial de Iguaraci, e beneficia diretamente cerca de 100 crianças, adolescentes e jovens, além de suas famílias de forma indireta. O objetivo é contribuir, através de práticas esportivas e educativas, para melhorias no rendimento escolar de crianças e adolescentes da localidade, além da defesa dos direitos à educação e ao lazer. A comunidade identificou diversos problemas, como desestruturação familiar, exploração sexual, alcoolismo e consumo de drogas, deficiência de alimentação saudável, dentre outros.

Até julho de 2017, o projeto desenvolve palestras, diálogos, atividades físicas, treino técnico de futebol e jogos amistosos, onde são praticados conceitos de cultura de paz, desenvolvimento esportivo, disciplina e trabalho em equipe, utilizando os espaços das duas Igrejas e do Ginásio Municipal. As crianças e adolescentes também recebem kits de fardamento, material esportivo e didático, além de custeio das despesas com deslocamento, alimentação e hospedagem para as atividades. Para participar do projeto, é necessário ter entre 06 e 18 anos, estar matriculado em uma instituição de ensino e possuir atestado médico com liberação para atividade física. O projeto também busca modificar as relações com o poder público local, no sentido de reivindicar direitos e políticas públicas de incentivo.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial