Dormentes, no Sertão de PE, tem taxa zero no número de homicídios



Carro da Polícia militar em Dormentes (Foto: Reprodução/ TV Grande Rio)

Até o final de junho, nenhum homicídio foi registrado no município de Dormentes no Sertão pernambucano. Tranquilidade que a população percebe no dia a dia. Apesar de não haver este tipo de crime, outro ainda é bastante comum, o da violência contra a mulher, segundo o Conselho dos Direitos da Mulher no município.

Por causa da tranquilidade pelas ruas, a população ainda preserva hábitos antigos, como a agricultora, Amparo Medeiros, que disse ainda dormir com as portas abertas. “ Dá para dormir com a porta aberta e se esquecer alguma coisa do lado de fora no outro dia está do mesmo jeito”, disse.

Os comerciantes também não têm do que reclamar. João Assis tem um comércio na cidade há 30 anos e disse que nunca foi assaltado. “Assalto aqui não tem, nem briga ou morte... aqui não existe isso”, destacou.

Dormentes é umas das poucas cidades com taxa zero de assassinatos em Pernambuco. Já o estado apresenta aumento neste índice. Nos primeiros cinco meses deste ano já foram são mais de 1.700 mil homicídios. Somente no mês de maio, 319 pessoas foram assassinadas, número que supera as 313 mortes registradas em maio do ano de 2015.

De acordo com o sargento da Polícia Militar, Jataniel Benício, a cidade está há mais de 200 dias sem registro de homicídio. “Temos equipes de policias que vêm desempenhando o seu trabalho aqui em Dormentes junto à comunidade e têm o conhecimeto dos moradores, onde há uma troca de informação com os moradores. Com isso, temos nos antecipados a eventos que, por ventura, venham interferir na segurança dos moradores”, afirmou sargento PM.

Apesar dessa tranquilidade,a cidade enfrenta um grande desafio: a violência contra a mulher. Segundo o Conselho dos Direitos da Mulher, com frequência, as vítimas são espancadas pelos seus companheiros e não têm onde buscar apoio, já que não existe delegacia especializada e a única Coordenadoria foi desativada.

“Faltamos o apoio e estrutura de uma casa, de um Centro para apoiar as mulheres violentadas pelo próprio companheiro. A justiça não resolve. Está faltando a Coordenadoria da Mulher. Somos do Conselho  Municipal da Mulher, a gente acompanha, mas está faltando estrutura para dar acompanhamento às mulheres”, disse a conselheira, Teresinha Francisca de Macedo.

A Prefeitura de Dormentes informou que a Coordenadoria da Mulher não foi desativada, mas que a antiga responsável foi exonerada do cargo. Foi informado ainda que esta semana, uma nova profissional já foi contratada e que as mulheres que sofrem violência no município devem procurar o Conselho Municipal de Direitos da Mulher ou a Coordenadoria da Mulher para receber apoio especializado.

Em relação à quantidade de agressões, a Secretaria de Defesa Social registrou, até maio deste ano, um caso de agressão a mulher. Em 2015 foram dois casos. Porém a conselheira do município, Teresinha Francisca de Macedo, disse que esse índice não reflete a realidade, já que muitas mulheres não denunciam por medo e também pela falta de apoio. (G1)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial