Prefeito e vereadores de Flores cumprem agenda com Danilo Cabral no Recife



A Prefeitura de Flores, no Sertão do Pajeú, inaugurou a Casa de Apoio para atender os pacientes em tratamento no Recife. O deputado federal Danilo Cabral (PSB) acompanhou o evento ao lado do prefeito Marconi Santana (PSB) na tarde desta terça-feira (17). Localizado no Bairro da Boa Vista, o imóvel já está em funcionamento e tem capacidade para receber 26 pessoas, entre pacientes e acompanhantes. Também estavam presentes os vereadores Luiz Heleno, Isidoro, Jeane Lucas e Chico Paraíba e outras lideranças políticas da Região. 

Danilo Cabral parabenizou o prefeito pela iniciativa. “É uma excelente estrutura para atender as pessoas no momento em que elas mais precisam, que é quando estão doentes e vulneráveis”, declarou. A Casa de Apoio funciona a partir de regras estabelecidas pela Prefeitura, uma delas é que os pacientes sejam encaminhados ao Recife pelo Hospital Genésio Francisco Xavier. No local, há uma coordenadora e auxiliares responsáveis pela manutenção. 

A primeira-dama, Lucila Santana, revelou que a Prefeitura está organizando o transporte de pacientes entre Flores e o Recife, distantes cerca de 400 Km. O objetivo, segundo ela, é que as viagens sejam realizadas duas vezes por semana.

Antes da inauguração, Danilo Cabral, Marconi Santana e os vereadores se reuniram com o presidente da Compesa, Roberto Tavares, na sede da estatal. Trataram sobre melhorias no abastecimento d’água de Flores. O prefeito solicitou que a empresa aumentasse a vazão da Adutora do Pajeú para o município e, dessa forma, acabar o rodízio de 24h x 72h como é feito o fornecimento de água para os moradores da cidade. 

Roberto Tavares explicou que não pode atender essa demanda no momento, porque a adutora deveria abastecer até o município de Afogados da Ingazeira, mas que, com a crise hídrica, também está atendendo os municípios de Tabira, Itapetim, Santa Terezinha e São José. O presidente disse ainda que, quando a obra da Transposição do Rio São Francisco for concluída, a situação será normalizada. 

Marconi Santana solicitou ainda que a adutora de Fátima, distrito de Flores, para a sede do município não fosse desativada. “Queremos preservar a conexão, que foi construída pelo ex-governador Miguel Arraes na década de 1990, para o caso de termos problemas com a Transposição. Não queremos sofrer com a falta de água novamente”, justificou. O presidente da Compesa explicou que o Governo do Estado tem investido bastante em sistemas adutores que serão alimentados pelo Rio São Francisco. 

“Os municípios não podem ser dependentes do regime de chuvas, por isso, os grandes investimentos que Pernambuco tem feito não podem ser em barragens. Temos que investir no São Francisco”, disse. Roberto Tavares assegurou ser improvável que Flores ser prejudicada, no futuro, por problemas na Transposição. 

Comentários

Anterior Proxima Página inicial