Continua forte tradição dos bonecos gigantes em Belém do São Francisco



G1

Os bonecos gigantes surgiram em 1919 e são um símbolo do carnaval pernambucano. Em Belém do São Francisco, no Sertão de Pernambuco, muita gente se esforça para manter viva essa tradição. Nesta época de carnaval, os personagens Zé Pereira e Vitalina ganham as ruas da cidade para animar os foliões.

Os bonecos gigantes Zé Pereira e Vitalina são a maior atração da festa. A professora e historiadora Aparecida de Sá explica como esses personagens surgiram e ganharam tantos admiradores. “Já temos inúmeras provas de que realmente Belém é a terra dos primeiros bonecos gigantes. Zé Pereira com Gumercindo naquele momento cria e dá esse nome a a ele em homenagem a um português que se encontrava no Rio de Janeiro e fazia uma série de reportagens sobre o carnaval do rio, que já era famoso”, conta.

O artista plástico Aparecido Coelho tem 49 anos e 25 deles foram dedicados à produção dos bonecos. Ele trabalha muitas horas por dia para manter sempre viva a história de Zé Pereira. Na produção dos personagens, ele usa jornal, fibras de vidro e cola. Cada boneco leva em média três dias para ficar pronto.  “Quando eu termino de confeccionar os bonecos e vem o agradecimento das pessoas me cumprimentando e eu acho assim uma grande satisfação, porque as pessoas vêm me elogiar por esse trabalho”.

O adolescente Charles Eduardo tem apenas 14 anos e já é artista plástico. No carnaval deste ano, ele vai ver as suas obras desfilando pelas ruas de Belém de São Francisco. Ele confeccionou os bonecos Sorriso e Dona Flor. “Cada cidadão tem um amor enorme pelos nossos bonecos. Todas as crianças querem um dia ver Zé Pereira. Então, eu acabei fazendo esses bonecos com forma de ter mais prazer e mais alegria”.

Além de Zé Pereira e Vitalina, também vão desfilar o 'Canta Galo', 'Nego D'água', 'Padre Norberto Falepan', 'Raimundinho', 'Auzira do Dinheiro' e ainda 'Maria Catarina', uma moradora antiga da cidade que este ano vai ser homenageada com um boneco gigante. “Eu nunca esperava, estou com 74 anos para receber uma homenagem dessa. Vou para rua, da chegada de Zé Pereira até o último dia de carnaval se Deus quiser”, ressalta a aposentada Maria Catarina.

A história de Zé Pereira e dos bonecos gigantes de Belém do São Francisco já virou até filme, um curta-metragem feito aqui foi exibido na Europa. “A agente pode apresentar essa cultura tão legítima nossa, para todo mundo e uma valorização disso em que vivemos enquanto cultura belamita. É um estímulo para que a gente observe mais, vivencie mais e compartilhe desses movimentos culturais locais”, relata o ator Antony Dunes.

Este ano o carnaval de Belém do São Francisco tem muitas novidades para os foliões. “Vamos iniciar o carnaval com a família de mestre Salustiano que tem também uma participação cultural muito forte para Pernambuco e eles vão abrir o carnaval mostrando o que é mais forte no carnaval de Pernambuco, o frevo, maracatu, as músicas e a dança”, comenta o prefeito Licínio Antônio Lustosa.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial