Temer decide ir a Sertânia, onde barragem da Transposição vazou



Na véspera da visita à cidade de Monteiro, na Paraíba, para acompanhar a chegada da Transposição do Rio São Francisco ao estado, o presidente Michel Temer (PMDB) decidiu adicionar mais uma cidade ao roteiro: Sertânia, no Sertão pernambucano. É nesse município que fica o reservatório de Barreiros, que teve um vazamento há uma semana. O peemedebista faz a terceira visita ao projeto em três meses nesta sexta-feira (10).

De acordo com o colunista Romoaldo de Souza, da Rádio Jornal, Temer embarca de Brasília para Campina Grande, na Paraíba. De lá, vai a Sertânia, em seguida a Monteiro, voltando à primeira cidade paraibana para retornar à capital federal.

A previsão inicial era que Temer fizesse a sua terceira visita às obras em três meses nesta quinta-feira (9), mas, nessa segunda-feira (6), o ministro Helder Barbalho (Integração Nacional) vistoriou o reservatório de Barreiros, no Sertão pernambucano, que teve um vazamento na semana passada, eanunciou que a água só chegaria à Paraíba no sábado (11).

Antes ir para o estado vizinho, a água chegou no último dia 24 ao município pernambucano de Sertânia, onde fica a barragem que apresentou vazamento. De lá, a água passou por mais dois reservatórios e um túnel antes de chegar ao açude de Poções, em Monteiro, já na Paraíba. Depois, a água seguirá pelo Rio Paraíba até o reservatório Boqueirão, para reforçar o abastecimento em Campina Grande. Mas a agenda de Temer nessa cidade não está relacionada à Transposição, e sim à assinatura de uma ordem de serviço para obras na BR-230.

A chegada da água a Sertânia foi marcada por uma visita de Helder Barbalho com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). Através da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), o tucano, que tem planos de se candidatar à presidência, cedeu bombas para o projeto. Alckmin é só um dos nomes que usam a estratégia de ficar ligados à transposição.

Outro é o próprio Temer. Com baixa popularidade – a avaliação positiva do governo baixou para 10,3% na última pesquisa CNT/MDA, divulgada em fevereiro -, a conclusão da transposição é usada pelo peemedebista para tentar alavancar a imagem positiva no Nordeste, que tem áreas atingidas pela seca há mais de cinco anos.

De olho na movimentação dos dois, o ex-presidente Lula (PT) tem investido na comunicação e na militância para também se aproximar da obra, iniciada em 2007, no seu segundo mandato. A transposição era esperada desde o período do Império e foi promessa dos presidentes anteriores ao petista. De olho nos créditos por ter iniciado a obra, Lula tem divulgado vídeos nas redes sociais e, no último sábado (4), o líder da oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE) levou prefeitos petistas para a transposição para exaltar a imagem de Lula. Em discurso recheado de críticas a Alckmin e Temer, Humberto ainda anunciou que o próprio ex-presidente vem a Pernambuco e à Paraíba ainda este mês.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial