Brasil deverá ter mais idosos do que crianças em 2039, diz IBGE



Em 2039, a população do Brasil deverá ter mais pessoas idosas que crianças. A previsão faz parte da Revisão 2018 da Projeção de População do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estudo mostra que, em 2029, o Rio Grande do Sul deverá ser o primeiro estado a ter uma proporção maior de idosos do que de crianças de até 14 anos. Mas em 2033, o Rio de Janeiro e Minas Gerais deverão ter relação semelhante. Com comportamento diferente, o Amazonas e Roraima vão continuar com mais crianças e idosos até o limite da projeção em 2060.

Já a população do Brasil vai continuar em crescimento até atingir 233,2 milhões de pessoas em 2047. A partir deste ano, entrará em declínio gradual chegando a 228,3 milhões em 2060. O estudo estima demograficamente os padrões de crescimento da população do país ano a ano, por sexo e idade para os próximos 42 anos.

Antes de 2048, 12 estados (Piauí, Bahia, Rio Grande do Sul, Alagoas, Minas Gerais, Paraíba, Rio de Janeiro, Ceará, Pernambuco, Maranhão, Paraná e Rio Grande do Norte) deverão ter redução na sua população. Segundo o IBGE, a principal característica dessas unidades da federação é o saldo migratório negativo.

No limite da projeção em 2060, oito estados (Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Amapá, Roraima, Amazonas e Acre) não terão queda nas suas populações. O IBGE explicou que eles apresentam saltos migratórios positivos e/ou têm taxas de fecundidade total mais elevadas.

Neste ano de 2018, o Brasil atingiu a marca de 208,4 milhões de habitantes. O dado é uma projeção com base no levantamento populacional do Censo de 2010. A população brasileira em 2018 teve aumento de 0,38% (ou 800 mil pessoas) em relação ao contingente de 2017, quando era de 207,6 milhões.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial