Estudantes do ensino médio e fundamental de Arcoverde aprendem a combater a corrupção e a sonegação



O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) realiza na próxima sexta-feira (31), a apresentação do projeto Educação Contra a Corrupção e a Sonegação para estudantes do ensino fundamental e médio da rede estadual e municipal de Arcoverde. O projeto tem o objetivo de sensibilizar os participantes para a função socioeconômica do tributo, incentivando o acompanhamento pela sociedade da aplicação dos recursos públicos, formando cidadãos éticos e atuantes. Pela manhã a apresentação será realizada na auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade, localizado na Rua Prudente de Morais, n.º 198 - Centro, com a expectativa é receber mais 200 de jovens. A partir das 13h30, também no auditório da CDL será a vez de receber os estudantes do ensino médio da rede Estadual. Os eventos contarão com a participação da promotora de Justiça de Educação de Arcoverde, Éricka Garmes.

"É sabido que a corrupção, compreendida em sentido amplo, e os problemas de gestão sobre os gastos públicos, reduzem as tentativas governamentais de efetivação dos direitos fundamentais previstos na Constituição. Por isso, queremos trabalhar com professores e estudantes da rede municipal o combate à corrupção e à sonegação fiscal, mostrando a importância dos impostos para o desenvolvimento das políticas públicas e também quais as ferramentas que podem ser acionadas para a denúncia de ilícitos", disse o procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros. Com o projeto, o MPPE já passou pelas cidades de Caruaru, Garanhuns, Vitória de Santo Antão, Jaboatão dos Guararapes e Olinda contemplando quase 5 mil estudantes. A expectativa do MPPE é visitar todas as regiões do Estado, a partir das 14 circunscrições do Ministério.

Durante o evento os participantes poderão entender como a corrupção influencia no dia a dia do povo e como pequenas práticas que muitos consideram “normais” são, na verdade, delitos ou ações reprováveis do ponto de vista ético. A apresentação é feita a partir de um espetáculo intitulado "Quem é esperto levanta a mão e diz um não à Corrupção e à Sonegação!" que conta com os atores Flávio Alves e Joan Arthur como o palhaço Trapaça e Leal, respectivamente, e a atriz Priscila Cardoso como a palhaça Chourumela. O ato tem texto e direção de Luciano Alves, trabalhos técnios de Wedson Gomes e foto e filmagem de Zaqueu Ferreira. No número,os palhaços começam a disputar o amor da palhaça Chorumela. Um procura chamar atenção dela pela honestidade e outro por atos de corrupção.


"Furar fila, copiar trabalhos da internet, receber troco a mais e não devolver, falsificar carteira de estudante, por exemplo são atitudes que caracterizam pequenas corrupções e que precisamos combater em nosso cotidiano. Vamos abordar todos esses conteúdos com os jovens de forma lúdica e interativa", disse o promotor de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Defesa do Direito à Educação (Caop Educação), Sérgio Souto.

Durante o evento será apresentada, ainda, como a sonegação prejudica a prestação de serviços públicos e como o cidadão ao comprar produtos piratas, não solicitar notas fiscais e fazer ligações clandestinas de TV a cabo ou internet, entre outros, acaba apoiando sonegadores e impedindo a arrecadação de impostos. “Combater a sonegação traz resultados diretos à população, porque os recursos arrecadados se traduzem em melhorias nos serviços públicos e também traz resultados para o mercado, para que não se tenha concorrência desleal por empresas que não pagam impostos”, disse o procurador de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça de Combate à Sonegação Fiscal, José Lopes.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial