Ao lado de Haddad, Humberto afirma que Pernambuco vai derrotar "turma de Temer"



Em ato histórico no centro do Recife na manhã deste sábado (22), com a presença de milhares de pessoas em apoio à candidatura de Fernando Haddad (PT) à Presidência da República e de Paulo Câmara (PSB) ao governo de Pernambuco, o líder da Oposição a Temer no Senado e candidato à reeleição, Humberto Costa (PT-PE), destacou a força do povo nesta campanha e avisou que o eleitorado pernambucano irá derrotar a turma de Temer no Estado, representada pela chapa de Armando Monteiro (PTB), que disputa o governo, e dos ex-ministros Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB), ambos postulantes ao Senado.

Humberto ressaltou as propostas da Frente Popular de Pernambuco para mudar o estado e o país e, no discurso que fez na Praça do Diário, falou dos avanços conquistados por Pernambuco nas gestões de Lula e Dilma e criticou os retrocessos causados pelos adversários, que levaram milhões de pessoas ao desemprego, pobreza e fome. 

“Há dois projetos que se impõem para a gente neste momento. De um lado, o de Lula e seu time, que é este aqui, um time que gerou mais de 20 milhões de empregos, aumentou o salário mínimo, criou o Bolsa Família e melhorou a vida de todos os brasileiros. Na nossa época, o povo passou a ter o direito de comprar uma TV nova, um fogão, de viajar de avião”, lembrou.  "Do outro lado, está o projeto da turma de Temer, com Geraldo Alckmin (PSDB) e Jair Bolsonaro (PSL), que não só retirou do povo o direito de ter um carro, mas até de comprar gasolina, que não só retirou a comida da mesa do trabalhador, mas também o bujão de gás."

“Eles fizeram com que o povo empobrecesse, milhões passassem fome e deixaram os cidadãos sem esperança e perspectiva. Essa turma fez com que a carestia para o povo pobre fosse a maior da história do Brasil. Hoje, é luxo comprar bujão de gás e encher o tanque do carro”, detonou.

O senador citou os inúmeros avanços de Pernambuco quando Lula e Dilma foram presidentes do país, como a construção da Refinaria Abreu e Lima, o complexo petroquímico de Suape, a Hemobrás, os estaleiros, a ferrovia Transnordestina, a adutora do Agreste e a transposição do rio São Francisco. “Avançamos muito com inclusão e desenvolvimento social. Os pernambucanos e pernambucanas têm saudades desse tempo e o querem de volta”, declarou. 

Humberto sublinhou que todas essas conquistas correram sério risco com a chegada de Temer e seus aliados ao governo, que teve quatro ministros pernambucanos, mas, mesmo assim, trabalhou para tirar a Hemobrás, por exemplo, grande conquista do estado, e levar ao Paraná. “Eles ainda queriam fechar os estaleiros. Queriam que Pernambuco fosse destruído, porém, não conseguiram, apesar de todo cerco que fizeram”, comentou.

O líder da Oposição a Temer no Senado acredita que as eleições serão a grande oportunidade de mudanças. “Haddad vai restaurar Pernambuco e o Brasil. Quero dizer a você, Haddad, que é um grande companheiro, que você foi o maior ministro da Educação da história deste país. Do lado deles, o candidato a senador Mendonça Filho, por sua vez, foi o pior ministro da história do Brasil”, criticou. 

A multidão, que aguardava a chegada de Haddad e Manuela D’Ávila (PCdoB), candidata a vice-presidente da chapa, na manhã deste sábado, caminhou pelas ruas do Recife com muita empolgação. Humberto agradeceu a participação da militância e do povo e pediu empenho nesta reta final de campanha.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial