Ex-mulher acusou Bolsonaro de furto de cofre, diz revista


REUTERS/Adriano Machado

Após a Folha de S. Paulo publicar um telegrama mostrando que Ana Cristina Valle teria dito que havia deixado o País "por ter sido ameaçada de morte" pelo ex-marido Jair Bolsonaro (PSL), o divórcio dos dois voltou a repercutir. No fim da noite desta quinta-feira (27), a Veja revelou informações contidas em um processo de separação. No documento, segundo a revista, a ex-mulher acusa o presidenciável de furtar um cofre de banco, receber pagamentos não declarados, agir com “desmedida agressividade” e ocultar patrimônio.

De acordo com a Veja, em 2007, quando o casal resolveu se separar e disputar a guarda do filho, hoje com 20 anos, Ana Cristina alegava que Bolsonaro não queria fazer uma partilha justa dos bens. Em abril de 2008, ela entrou com uma ação na 1ª Vara de Família do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. O processo ao qual a Veja teve acesso tem mais de 500 páginas.

Acusações

Segundo a Veja, Ana Cristina acusou Bolsonaro de furtar seu cofre em uma agência do Banco do Brasil, em outubro de 2007, e levar joias avaliadas em R$ 600 mil, além de US$ 30 mil mil e R$ 200 mil em dinheiro. O caso teria sido registrado na 5ª Delegacia da Polícia Civil. Ela também teria dito que Bolsonaro era um marido de “comportamento explosivo” e “desmedida agressividade”.

Outra acusação trata de ocultação de patrimônio. De acordo com a revista, Ana Cristina informou que o candidato tinha outros bens além dos que declarou em 2006, quando foi candidato a deputado federal.

Ainda segundo a Veja, Ana Cristina declarou, sem especificar, que Bolsonaro recebia “outros proventos” para chegar a uma renda mensal de R$100 mil.

“Bolsonaro é digno”, diz ex-mulher

 À Veja, ela negou as acusações. “Quando você está magoado, fala coisas que não deveria”, afirmou.

Questionada sobre a acusação de agressividade, Ana Cristina disse que “Bolsonaro é digno, carinhoso, honesto e provedor. Apesar de ‘machão’, ama os filhos incondicionalmente e trata suas mulheres como princesas”.

Procurado pela revista, o candidato não quis se pronunciar.

Bolsonaro e Ana Cristina se separaram oficialmente em 2008. Hoje, ela é candidata a deputada federal pelo Podemos, usando o nome Cristina Bolsonaro. (Jc online)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial