“Antes de começar, governo Bolsonaro já provoca uma tragédia social”, diz Dilma Rousseff



A ex-presidenta Dilma Rousseff foi ovacionada na abertura do 8ª Conferência da Clacso (Conselho Latino-americano de Ciências Sociais), que ocorre em Buenos Aires, com a participação de cerca de 30 mil pessoas, segundo a organização. Dilma afirmou que daria “um testemunho do que se passa no Brasil”. Para ela, o país entrou numa rota trágica, neoliberal, neofacista e autoritária.

Questionada como se dará a resistência do povo brasileiro diante desse cenário, a petista destacou que a “retirada sistemática de direitos levará à reação popular”. “Acredito que o povo brasileiro tem uma vantagem em relação aos momentos anteriores, sabe que foi possível no Brasil crescer e distribuir renda e aumentar o atendimento dos serviços à população. Ele vai perder isso. Já começou, com as declarações de Bolsonaro que levaram à retirada dos cerca de 9 mil médicos cubanos”, disse.

Dilma lembrou que o país sofre com a falta de médicos nacionais nas periferias e comunidades indígenas. “Utilizaram critérios ideológicos sobre uma política social de governo. É uma catástrofe. Antes de começar, o governo já provoca uma tragédia social.”

Para a ex-presidente, Bolsonaro traz “ao mesmo tempo uma proposta de governo que se caracteriza por um alinhamento submisso aos EUA e claro corte neoliberal de retirada de direitos e destruição do Estado”.

Fonte: Fórum

Comentários

Anterior Proxima Página inicial