Faculdades antecipam colação para garantir inscrições no Mais Médicos


Thais Borges
Do Correio para a Rede Nordeste

O cronograma já estava definido: a colação de grau de Rhanna Ariadne, 26 anos, seria no próximo dia 28. Nessa data, receberia o certificado de conclusão do curso de Medicina na Unifacs para, finalmente, conseguir dar entrada na inscrição no Conselho Regional de Medicina da Bahia (Cremeb). Só que os planos mudaram: na noite de terça-feira (20), recebeu a confirmação de a colação foi antecipada para a tarde desta quarta-feira (21).

A correria foi motivada por uma pauta nacional: o lançamento do novo edital do programa Mais Médicos, que abriu 8,5 novas vagas para todo o país, com o objetivo de preencher os postos deixados pelos médicos cubanos. Além da Unifacs, a Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública e a Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC) também decidiram antecipar o processo para que os alunos possam participar do Mais Médicos. Na Bahia, são 853 vagas em 313 municípios e 19 distritos indígenas.

Nesta quarta, o Cremeb chegou a montar uma força-tarefa para atender à demanda dos recém-formados. De quarta até sexta-feira (23), a entidade estima emitir pelo menos 250 novos CRMs (como são chamados os números de inscrição no conselho). Além das faculdades baianas, até uma instituição do Espírito Santo entrou em contato com o Cremeb para solicitar a antecipação de 20 novos CRMs. Só para dar uma ideia, em todo o ano de 2017, foram emitidos 1.036 CRMs. Em 2018, até segunda-feira (19), foram 837 inscrições. Ou seja, em três dias, o Cremeb espera emitir o equivalente a 30% do que foi feito em 11 meses.

Isso tudo porque o prazo para inscrição no programa, que começou na quarta-feira, vai até domingo (25). Nessa primeira fase,  somente brasileiros formados no Brasil ou com diploma revalidado no país podem participar. As vagas que não forem preenchidas é que serão destinadas à segunda etapa. Nesse segundo momento do cronograma, que aceitará brasileiros formados no exterior e estrangeiros, as inscrições começam em 27 de novembro.

Até o dia 12 de dezembro, 8,3 mil médicos cubanos devem deixar o Brasil, após o governo de Cuba ter anunciado a saída do programa na semana passada. A decisão foi motivada por declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro, que afirmou que “expulsaria” os cubanos do Brasil com o Revalida – exame de validação de diplomas estrangeiros.

Os profissionais cubanos vão retornar a Cuba a partir desta quinta-feira (22). De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), uma das responsáveis pela cooperação internacional entre o Brasil e o país da América Central, os primeiros cinco voos em direção a Havana estão previstos para quinta, assim como sexta-feira (23) e sábado (24).

As cinco primeiras viagens devem levar médicos que atuam nos 26 estados brasileiros, além do Distrito Federal. Eles saem de quatro polos do país: além de Salvador, as cidades de Brasília (DF), Manaus (AM) e São Paulo (SP).

Comentários

Anterior Proxima Página inicial