Explosão de oleoduto deixa pelo menos 66 mortos no México


Uma explosão em uma extração clandestina de combustível no município de Tlahuelilpan, no Estado de Hidalgo, centro do México, nesta sexta-feira, deixou pelo menos 66 mortos e mais de 70 feridos, de acordo com as autoridades locais. Duas horas antes da detonação, na área, localizada a pouco mais de 100 quilômetros da capital mexicana, as autoridades - que temem que o número de vítimas aumente com o passar do tempo - souberam de um vazamento intencional de combustível.

Pouco depois das 23h (3h de Brasília), o Governo Federal afirmou em um comunicado que quando as primeiras tropas do Exército - “em tarefas de inspeção”, afirmou depois o ministro de Governança, Alfonso Durazo - chegaram à região “não havia mais pessoas”. Mas com “o aumento da pressão da tubulação, o vazamento de combustível cresceu consideravelmente e os moradores (...) se dirigiram em grande número com baldes, galões e todo o tipo de recipientes”. “Para evitar um confronto com a população”, prossegue o comunicado, “os militares se retiraram”. Pouco depois a explosão ocorreu. O Executivo Federal não informou o número de militares mobilizados no local. A petrolífera estatal, Pemex, fechou a tubulação por volta das 18h (22h de Brasília), quanto detectou que o nível de pressão era inferior ao habitual.

De acordo com o depoimento do prefeito do município, Juan Pedro Cruz, eram aproximadamente 200 pessoas tentando coletar o combustível derramado no solo. Outras fontes elevam esse número a mil. Os policiais e militares que tentavam isolar a área, de acordo com o relato do prefeito de Tlahuelilpan, pediram, sem sucesso, que se retirassem do local. “Eram hordas de pessoas que, para levar um galão de combustível, podem perder a vida”, frisou Fayad em declarações à Foro TV. Após horas de combate contra as chamas, o incêndio foi completamente apagado às 23h50 (3h50 de Brasília), de acordo com informações de Durazo.

O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, reiterou que irá “fortalecer” sua estratégia de luta contra o roubo de combustível. “Isso infelizmente demonstra que é preciso acabar com essa prática que causou a tragédia”, disse em Tlahuelilpan. (EL País)

Comentários

Anterior Proxima Página inicial