Secretaria de Desenvolvimento Agrário e parceiros vão realizar projeto para inserção de 50 novas queijarias no mercado pernambucano


O Agreste Meridional, formado por 29 municípios, tem na pecuária leiteira sua principal base econômica. É a região conhecida como Bacia Leiteira do Estado, responsável por mais de 70% da produção total de leite em Pernambuco. Para fortalecer ainda mais a cadeia produtiva e retirar os pequenos produtores da informalidade, a Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), por meio de suas vinculadas Adagro e IPA, vai realizar um projeto em parceria com o Sebrae, ITEP e UFRPE/UAG para inserção de 50 novas queijarias no mercado pernambucano.

O projeto “Adequação das Pequenas Queijarias do Agreste Meridional” tem por objetivo promover a melhoria da gestão, adesão efetiva a novas tecnologias e o acesso a mercados através da adequação do processo produtivo às exigências legais para elevar a competitividade dos produtores de leite atendidos pelo projeto.

O lançamento das 50 queijarias no mercado pernambucano vai proporcionar o fortalecimento da cadeia produtiva e de valor do leite. O Sebrae irá prestar consultoria de adequação das pequenas empresas. O valor total do projeto, que tem prazo de vigência de fevereiro a dezembro de 2019, é de R$ 457 mil, e prevê uma contrapartida do Estado, que será discutida.

Segundo mapeamento da Adagro, Itep, IPA e UFRPE-UAG, atualmente mais de 50 produtores de queijo coalho trabalham na informalidade nas feiras livres da região ou na Região Metropolitana do Recife, correndo risco de terem seus produtos apreendidos. Em 2018, foram 15,3 toneladas de queijo coalho apreendidos no Estado, pela falta de registro e pelo transporte inadequado. Atualmente são 41 queijarias registradas na Adagro, além de 38 com licença de comercialização.

“O projeto terá um impacto bastante positivo, tanto do ponto de vista econômico quanto social, a partir da legalização desses pequenos produtores, garantindo a segurança alimentar da população, estimulando o surgimento de novos empreendimentos rurais do setor e gerando renda para o pequeno produtor”, avaliou o secretário de Desenvolvimento Agrário, Dilson Peixoto.

Estiveram presentes à reunião, pelo Sebrae, a diretora técnica Roberta Correia; a gerente da Unidade Agreste Meridional (UAM), Gerlane Melo; o gestor do Leite da UAM, Jefferson Fernandes; e a gestora do Agronegócio da UAM, Kedima Azevedo; o diretor presidente da Adagro, Paulo Roberto de Andrade Lima; o presidente do Sindicato dos Produtores de Leite de Pernambuco (Sinproleite), Saulo Malta; e o produtor de leite de vaca e queijo de coalho da marca Leite Nobre, Romildo Albuquerque Bezerra.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial