Fundação Terra realiza exposição fotográfica em comemoração aos 35 anos


Os projetos sociais desenvolvidos ao longo dos 35 anos de atuação da Fundação Terra serviram de inspiração para dois grupos de fotografia retratarem a rotina da instituição social. Todos esses registros estarão disponíveis na exposição fotográfica intitulada “Na Terra Para Servir”, um projeto promovido em parceria com o Curso Superior de Tecnologia em Fotografia da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e o f/8 Fotografia Documental. A abertura da mostra irá acontecer com a participação de Padre Airton Freire, criador e presidente da organização, no dia 25 de fevereiro, às 17h, no piso L4 do RioMar. A exposição permanece no empreendimento até 1º de março.

Para Padre Airton Freire, a mostra servirá para apresentar o trabalho realizado ao longo dessas três décadas e meia de atuação. “A exposição irá retratar o desejo constante que temos na Fundação Terra, de querer ajudar, de servir e amar”, afirma. Desde a criação, a instituição social transforma a vida de muita gente para melhor, em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco, onde funciona a sede. Lá, crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos são atendidos diariamente em diversos programas de acesso a direitos sociais; de reabilitações física, intelectual, auditiva e visual; e à educação básica e fundamental.

A coordenadora do curso de fotografia da Unicap, professora Renata Victor, destaca a importância da atividade de extensão universitária envolvendo questões do âmbito social. “Os alunos ficaram encantados com o trabalho desenvolvido pela Fundação Terra e com benefício gerado às pessoas. Isso foi o que mais impressionou”, enaltece a coordenadora. Quem imprimiu todo esse encanto através do seu olhar foi a estudante de fotografia da universidade, Elizabeth de Carvalho. “Foi uma das melhores atividades porque tivemos a oportunidade de estreitar os laços de amizade, se divertindo e praticando fotografia. O que me chamou a atenção foi o semblante de felicidade das pessoas e as instalações confortáveis e bem cuidadas”, complementa a estudante.

O Coletivo f/8 também esteve na instituição registrando toda a rotina dos projetos sociais. “Cada fotógrafo sentiu as realidades que presenciou e depositou tal sentimento nas imagens que produziu. O resultado do trabalho fotográfico desenvolvido pelo coletivo mostra que, para além de todas as adversidades, há a humanidade”, pontua a coordenadora do grupo, Ana Cribari.

As imagens foram capturadas em dois mutirões fotográficos realizados em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco; no projeto C Amor (Centro de Apoio aos Moradores de Rua), no Centro do Recife; e em Maracanaú, unidade da instituição na Região Metropolitana de Fortaleza, no Ceará. No total, serão 60 fotos expostas ao público, uma oportunidade única para quem mora no Grande Recife conhecer de perto toda a história e a rotina dos projetos mantidos pela organização. A mostra também faz parte da programação de rumo aos 35 anos da Fundação Terra. A entrada é totalmente gratuita.

Criada em 1984 pelo padre Airton Freire, a organização surgiu numa área chamada popularmente de Rua do Lixo, em Arcoverde, município do Sertão pernambucano, a 250 quilômetros do Recife. Onde antes estava localizado o lixão do município, hoje há escola, creche, biblioteca, instituição de longa permanência para idosos e várias ações sociais. Há mais de dez anos, as ações da instituição chegaram também a Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (CE), onde está localizada na comunidade do Alto Alegre II. No Ceará, funciona a creche Pleno Viver e o centro esportivo e cultural Renatu’s, com ações também na área de profissionalização. Em 2016, foi aberto no Recife o Centro de Apoio aos Moradores de Rua (C Amor), que funciona no Pátio da Santa Cruz, bairro da Boa Vista.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial