Gleisi: Bolsonaro comete atentado à economia popular com fim da valorização do mínimo


O virtualmente demitido Ricardo Vélez, ministro da Educação, disse nesta sexta-feira (5) que “não vai entregar o cargo”. A reação do ministro aconteceu depois das declarações de Bolsonaro em café da manhã com jornalistas no Palácio do Planalto, onde anunciou sua demissão para a próxima segunda-feira (8).

“Não vou entregar o cargo”, disse Vélez a repórteres durante participação em evento com empresários promovido pelo Lide em Campos do Jordão (SP). O ministro, ligado ao grupo de seguidores de Olavo de Carvalho, resiste entricheirado no MEC.

Vale lembrar que Bolsonaro já ventilou a demissão de Vélez algumas semanas atrás em um programa popular da televisão aberta e depois segurou o ministro.

A crise política e gerencial no ministério continua e ameaça até as operações básicas da pasta. Até o momento, ocorreram 20 demissões no primeiro escalão do MEC.

O tenente-brigadeiro Ricardo Machado Vieira, secretário-executivo do MEC, já opera como uma espécie de interventor dos militares no ministério.

Fonte: Blog do Esmael.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial