Ministro Santos Cruz vira alvo dos filhos de Bolsonaro

Depois dos ataques dos filhos do presidente Jair Bolsonaro ao vice Hamilton Mourão, agora as críticas são dirigidas a Santos Cruz / Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Estadão Conteúdo

O ministro da Secretaria de Governo, general Carlos Alberto dos Santos Cruz, virou o novo alvo do Palácio do Planalto. Depois dos ataques dos filhos do presidente Jair Bolsonaro ao vice Hamilton Mourão, agora as críticas são dirigidas a Santos Cruz e têm como pano de fundo a comunicação.

A queda de braço foi exposta depois que Bolsonaro mandou retirar do ar a propaganda do Banco do Brasil mostrando atores que representavam a diversidade racial e sexual do País. As divergências, porém, têm outros capítulos, como a campanha publicitária da Previdência e o tratamento que deve ser dado à imprensa.

Desde que foi nomeado para comandar a Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom), há pouco mais de duas semanas, o empresário Fábio Wajngarten enfrenta a resistência de Santos Cruz. O general tentou, sem sucesso, manter na chefia da Secom o publicitário Floriano Amorim, que defendia menos recursos para a mídia tradicional e mais investimento em redes sociais. Foi derrotado após Bolsonaro perder popularidade e ser obrigado a aceitar Wajngarten, que hoje conta com a simpatia do escritor Olavo de Carvalho.

Os ânimos se exaltaram no último dia 17, porém, quando Wajngarten apresentou a campanha publicitária para "vender" a reforma da Previdência. Santos Cruz se queixou do valor e exigiu a redução de 20% nos custos. A Secom é subordinada à secretaria dirigida pelo general.

Comentários

Anterior Proxima Página inicial